Pesquisar este blog

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Pegasus e o fogo do Olimpo


Pegasus e o fogo do Olimpo é o primeiro livro da trilogia Pegasus escrita por Kate O´hearn. Os olimpicos estavam em guerra, os Nirads, seres desconhecidos de quatro braços invadiram o Olimpo sem nenhum propósito se não a destruição. No caos da guerra um olimpico, Paelen, tenta roubar as redeas de Pegasus para controlar o garanhão, mas seu plano da errado e tanto Paelen quanto Pegasus caem no mundo humano.

O jovem Paelen é encontrada por uma agencia secreta a UCP que o captura pensando que ele erao alienigina. Pegasus teve mais sorte caindo no terraço do predio de Emily, uma garota de treze anos. Uma forte ligação se forja entre os dois. Emily tera que proteger a Pegasus e a si mesma tanto da UCP que tenta captura-lo como dos ferozes e misteriosos Nirads.

domingo, 8 de dezembro de 2013

As brumas de Avalon - A grande rainha


As brumas de Avalon - a grande rainha é o segundo livro da maravilhosa obra de fcção de Marion Zimmer. No fim do primeiro livro da serie Morgana abandona a ilha sagrada de Avalon por causa de sua briga com sua tutora, Vviane, a senhora do lago.

Por causa das artimanhas de Viviane que luta com todas as suas forças manter a velha religião e livra-la do esquecimento, a senhora do lago fez com que Morgana fizesse amor com seu irmão Arthur e ficasse gravida dele gerando assim o filho que ela pretende que se torne o novo grande rei e lute por Avalon.

Tentando fugir do destino e das manipulações de Viviane, a quem ama e odeia, Morgana vai ate o reino de Lot aonde vive sua tia Morguease, que reina juntamente com o rei, seguindo os velhos ritos. Lá Morgana dará a luz ao seu filho Gwydion, o único herdeiro legitimo de Arthur...

Traçara Gwydion o destino sonhado por Viviane?  Ou será sua mãe, Morgana, quem ditara o curso de sua vida? Morguease também vê no filho da sobrinha um escada que a levara ao trono e a tornara grande rainha.

domingo, 24 de novembro de 2013

O livro da mitologia



'O livro da Mitologia', de Thomas Bulfinch, nos encanta com os mais belos mitos, em que se encontram os episódios de Prometeu e Pandora, Apolo e Dafne, Juno e suas rivais, Perseu e Medusa, Minerva e Níobe, entre tantas outras lendas greco-romanas, além dos mitos nórdicos e egípcios. Embora o livro de Bulfinch tenha como objetivo o deleite ,é também uma grande referência de estudos para apreciadores e cultores dos mitos, pela ênfase dada à arte de contá-los durante a Antiguidade. Possuindo capa dura e tendo maravilhosos desenhos feitos pelo ilustrador Getulio Delphim, "O livro da mitologia" se torna muito mais encantador e belo.

Link (Livraria cultura): Clique aqui

Poemas e fragmentos - Safo de Lesbos



É muito conhecido a contribuição de vários poetas gregas para a literatura na antiguidade. Pouco conhecida porem é a contribuição das mulheres nesta área. Safo foi uma poetisa que viveu na ilha de Lesbos, seus poemas referem-se ao amor e ao erotismo.

Link (Livraria cultura): Clique aqui

sábado, 23 de novembro de 2013

O desentendimento entre Aquiles e Agamemnon



Que Helena, a mais bela entre as mortais, foi a causa da guerra de Troia todos já estão cansados de saber. Houve porem outra mulher que causou um grande conflito, e mudou o destino da guerra.

Esta mulher é Briseida, sua historia é contada no Canto I da Illiada. Tudo começa porem com Criseida que foi capturada pelos Aqueus em um ataque a Tebas e foi levada como espolio de guerra e dada a Agamemnon o líder das tropas dos Aqueus, por ter sido dentre todos os reis aquele que mais trouxe naus para atacar Troia.

Desejoso de reaver sua filha Criseida o sarcedote de Apolo, Crises, foi ate as naus dos Aqueus oferecendo uma grande recompensa para pagar o resgate de Criseida. Todos os Aqueus acharam justo a proposta, com exceção de Agamemnon. O rei expulsou o sarcedote de forma rude. Crises então rezou para que Apolo intercedesse em seu favor. O deus do sol ouviu as preces de seu sarcedote e começou a lançar suas flechas mortíferas contra as naus dos Aqueus, primeiro matando apenas animais, mas depois matando um a um os soldados gregos.

Temendo a ira do deus arqueiro e sem saber o motivo dela os Aqueus se reúnem e chamam Calcas, filho de Testor, o mais sábio dentre os adivinhos que vieram para a guerra. O adivinho diz que o único jeito de apaziguar a cólera do deus do sol seria devolvendo Criseida ao pai, sem mais receber o ouro do resgate, e oferecendo ao deus hectacombes.

Agamemnon fica furioso, mas percebendo que seria o melhor para os Aqueus, pois tolo é aquele que desagrada aos deuses, aceita em devolver Criseida, mas em compensação toma a pose de Briseida, uma moça que havia sido dada como premio para Aquiles, como espolio de guerra.

Aquiles se sente encolerizado, pois outro queria lhe tirar o premio que ele havia conquistado com merecimento (o motivo da ira de Aquiles não é por ele amar Briseida, embora é claro que ele nutrisse sentimentos por ela, mas sim pela afronta que Agamemnon fizera ao lhe retirar o premio, desmoralizando-o).

Aquiles aceita em entregar Briseida, pois por mais desonesto que fosse Agamemnon ele ainda era o rei, e Aquiles reconhece isso. Porem o herói se distancia da guerra e com ele os Mirmidoes que comanda. Sua ausencia muda o destino da guerra e ele só retorna a batalha após a morte de seu melhor amigo Patroclo.

Briseida é como Helena uma mulher que causa grandes mudanças na guerra entre gregos e troianos. Em toda a epopeia tem apenas uma fala, mas esta sendo de grande beleza.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Filme: As brumas de Avalon


Baseado no celebre livro de Marion Zimmer Bradley, as brumas de Avalon reconta a lenda do rei Arthur, sua luta para chegar a poder e o confronto entre a antiga relgião dos celtas e o cristianismo.

Download: Clique aqui

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Filme: Percy Jackson e o mar de monstros


Um dos filmes mais aguardados de 2013. Percy Jackson e o mar de monstros é o segundo filme baseado na serie de livros "Percy Jackson e os olimpianos". Em seu segundo ano no acampamento meio-sangue Percy terá que enfrentar um novo desafio, pois o pinheiro de Thalia que protegia o acampamento contra monstros foi envenenado e esta prestes a morrer. A barreira mágica que protegia o acampamento não mais existe e uma solução imediata deve ser tomada.

Para curar o pinheiro  uma missão é organizada com o intuito de recuperar o velocino de ouro, um item mágico capaz de curar qualquer ferida ou enfermidade. Para a missão porem nem Percy nem Annabeth são escolhidos e sim Clarisse, filha de Ares, deus da guerra. Paralelo a isso Percy descobre ter um irmão. O ciclope Tyson, filho de Poseidon com uma ninfa do mar.

Disposto a reaver o velocino por contra própria Percy vai juntamente com Annabeth, Grover e Tyson atrás do item mágico tendo que se aventurar nas misteriosas aguas do mar de monstros localizado no triângulo das bermudas.

Bom gente essa é a sinopse da historia, e se não quiserem saber de spoilers parem de ler nesse ponto. Percy Jackson teve uma grande alteração em seu primeiro filme em comparação a historia original do livro. Essas alterações agradaram alguns, e desagradaram muitos. Para falarmos dessas mudanças vamos voltar ao primeiro filme "Percy Jackson e o ladrão de raios" e dizer o que o filme deixou de contar (o que foram muitas coisas) e como no segundo filme foi feito para voltar a trilha da historia original.

Claro que ao se adaptar um livro em filme as mudanças são muitas, é impossível ser completamente fiel a historia original. Para terem uma ideia precisa do que estou falando o primeiro livro da serie possui 385 paginas e o filme foi resumido em 122 minutos. O maior problema dessa adaptação foi a alteração gritante na historia. Fatos como a profecia, a historia de Thalia, a conspiração entre Luke, Crhonos e Ares, além da explicação sobre a névoa... tudo isso foi cortado do filme. O batalha final contra o Ares não aconteceu e o vilão da historia foi o injustiçado Hades deus do submundo.

Em Percy Jackson e o mar de monstros a historia volta aos eixos. É explicado sobre a névoa e sobre a historia de Thalia, além disso é mostrado o oráculo, citada a profecia e finalmente apresentado Crhonos como o  vilão da serie. A historia volta a se aproximar da original dos livros o que agradara os fás, pois haviam ficado em sua maioria decepcionados com o primeiro filme.

Quanto ao elenco nada a reclamar Logan Lerman(Percy Jackson), Brandom T. Jackson (Grover Underwood), Alexandra Daddario (Annabeth Chese) e Jake Abel (Luke Castellan) foram os mesmos nos dois filmes. Annabeth agora loira e prendendo o cabelo em uma trança incorporando muito melhor a personagem dos livros.

Os personagens Tyson(Douglas Smith) e Clarisse(Leven Rambin) foram muito bem escolhidos também. A historia foi um pouco alterada, mas nada que comprometa a historia original. O maior erro porem foi a luta final contra Crhonos, no livro essa luta é contra Luke, mas como tal batalha já havia acontecido no primeiro filme o diretor preferiu apostar em uma cena de ação diferente.

O filme esta muito bem feito, tendo como maior mérito a correção dos erros de seu antecessor. Ficamos no aguardo do próximo filme "Percy Jackon e a maldição do titã" esperando que seja tão bom quanto Mar de monstros.

Download: Clique aqui

terça-feira, 23 de julho de 2013

Resenha: Iliada

A Illiada é uma das maiores obras dos poetas gregos antigos. Escrita por Homero datada de aproximadamente 700 a.c. A historia narra uma das maiores guerras travadas pelos gregos a guerra de Troia, aonde mortais e imortais se juntam em campo de batalha com varias das divindades a favor dos troianos e outras a favor dos gregos.

Farei aqui um breve resumo (pois esse conteúdo é por demasiado longo) sobre a escrita de Homero e os principais pontos da narrativa. Destaquei aqui os pontos que considero mais importantes, o julgamento de Paris que nomeia Afrodite como a mais bela dentre as imortais. O ato de Agamenon de tomar Briseida de Aquiles fato que desencadeia o abandono da guerra por parte do herói, retroando a batalha só muito tempo depois apenas com a morte de Patroclo.


I - REALIDADE OU FICÇÃO?

Um dos principais pontos sobre esta narrativa e se a guerra entre gregos e troianos realmente aconteceu ou se é apenas uma obra saída inteiramente da imaginação do poeta Homero. A verdade é que a guerra não aconteceu por volta do ano 700 a.c data ao qual o poeta viveu e sim muito distante disso em 1100 a.c uma suposição aceita é que os cantos sobre esse episodio epico tenham se passado oralmente atraves de poetas e ate chegar aos ouvidos de Homero.
Talvez houvesse sim existido uma guerra de troia, e Homero tenha mistificado e episódio inserindo grandes heróis e a presença dos deuses olimpianos. Ficção ou realidade no fundo isso não tem importância a Illiada é uma obra fundamental para a mitologia grega que traz ao leitor a sociedade e os costumes antigos da época alem de um belo quadro divino, é ai que esta sua importancia e valor e não em sua veracidade.

II - A ESCRITA HOMERICA

Para quem leu a Illiada ou ate mesmo a Odisseia é fácil notar os traços e características da escrita Homerica. Homero deusifica os homens, todos os guerreiros são belos de porte majestoso e de grande honra, as naus são todas velozes e bem construidas e os palacios ricos e abundantes. Ironicamente os deuses são humanizados se tornando ciumentos, vingativos, mesquinhos e ate mesmo infantis.
Outro fator interessante de se ressaltar são as batalhas que se desenrolam de forma um tanto tediosa pela repetição constante de arremessos de lanças que muitas vezes nem sequer atingem o alvo. As batalhas porem são intensas e ocupam grande parte da obra. Outro traço marcante na escrita de Homero é a analogia que compara os heróis muitas vezes a animais de porte como o javali ou o leão ou a outros animais.

III - O POMO DA DISCÓRDIA

O inicio da guerra de troia se da por um motivo divino e não terrestre. Embora sejam os mortais os protagonistas da guerra tudo teve seu inicio por causa dos deuses, ou melhor das deusas, especificamente Atena, Hera e Afrodite.
Tentando decidir quem era a mais bela entre as imortais essas trás deusas resolveram fazer um julgamento "justo" e por isso elegeram como juiz Paris, principie de troia. A eleição porem nada teve de justo, fora na verdade uma barganha em que cada deusa fazia sua melhor chantagem a Paris. O príncipe ficou com a oferta de Afrodite que lhe prometera o amor de Helena, a mais bela dentre todas as mortais como era conhecida. Sendo assim ficou decidido que a Afrodite era a mais bela das deusas e esta prometeu proteger o príncipe, porem isso despertou a raiva e a inveja de Atena e Hera que descarregariam sua ira sobre o mortal. Tal fato não acontece durante a Illiada, sendo apenas citado brevemente.

IV - O RAPTO DE HELENA

Sabendo que teria o coração de Helena, Paris foi ate Esparta e foi recebido por Menelau com um grande banquete como era devido a um hospede honroso. No banquete Helena ao ver o lindo Paris se apaixonou por ele graças ao encanto lançado pela deusa Afrodite e juntos eles fugiram de Esparta. Paris levou a jovem ate sua terra, Troia e por causa disso a grande guerra começou. Paris não sabia, mas ao levar Helena havia assinalado a destruição de todo seu reino.

V - A GUERRA

A guerra começa a ser narrada não de seu inicio, mas no inicio do seu décimo ano. Agamenon , irão de Menelau, junto com muitos outros reis haviam trazido seus navios para saquear e destruir Troia e como ele havia levado mais navios que os demais foi eleito naturalmente o líder da campanha militar.
Logo no primeiro canto nos é mostrado o herói Aquiles em discórdia com Agamenon, o motivo da briga era (novamente) por causa de uma mulher. Acontece que ambos haviam recebido como espolio de guerra duas lindas mulheres Criseida e Briseida, a primeira pertencia a Agamenon e a segunda a Aquiles. O pai de Criseida, um sacerdote do deus Apolo, visita o acampamento dos gregos e implora que devolvam-lhe a filha mediante um valioso resgate de muito ouro. Agamenon enfurecido manda o homem embora, expulsando-o do acampamento. O sarcedote reza a Apolo que lhe ajude e o deus mirando ao longe com suas setas mata um a um os soldados gregos.
Com as baixas diárias de soldados Agamenon aceita devolver a moça (que o faz agora sem receber restituição alguma) porem toma Briseida de Aquiles gerando a briga entre os dois. Aquiles enfurecido com a humilhação pois a moça como um espolio de guerra era por direito sua, resolve sair da guerra voltando ao combate apenas se os troianos chegassem a atacar os Mirmidoes, seu grupo de soldados, que se encontravam nos navios.
Apos a moça ser restituída ao seu pai, Apolo cessa os ataques aos gregos. Aquiles porem estava inconformado e chorando pede ajuda a sua mãe a nereida Tethys que faça com que Agamenon e os gregos lhe paguem com o devido respeito por terem o humilhado daquela forma.

VI - O PEDIDO DE TETHYS E O DESENROLAR DA GUERRA

Tethys visita o Olimpo implorando ao grande Zeus que de honra a seu filho. O deus concorda e assim trama para que os gregos caiam para assim terem que precisar da ajuda do grande Aquiles. Longe do olimpo a guerra se desenrola. Do lado dos troianos Priamo rei de troia e seus filhos Heitor e Paris são os principais personagens, como personagens femininas temos Hécuba, eposa de Priamo, e Andromaca esposa de Heitor. Do lado dos gregos temos uma grande variedade de herois, o rei Agamenon, Menelau, o sábio Nestor, os heroi Diomedes e os dois Ajax (a qual são chamados muitas vezes de "Ajantes"), além destes esta o engenhoso Odysseu (Ou Ulisses dependendo da nomenclatura, protagonista de Odisseia) e Aquiles com seu fiel escudeiro Patroclo, ambos se mantém distante da batalha na maior parte da narrativa.
A guerra se desenrola em sucessivas batalhas com a morte de varios guerreiros dos dois lados. Atena e Ares entram no campo de batalha e ate mesmo Afrodite. O casal de amantes, Afrodite e Ares, chega ate mesmo a serem feridos em guerra embora obviamente não pudessem ser mortos.

VII - A MORTE DE PATROCLO

A morte de Patroclo é em minha opinião o evento mais importante de toda a Illiada, é a partir desse evento que Aquiles volta a guerra, movido não por desejo de gloria, mas sim por vingança contra o homem que matou Patroclo, Heitor que é chamado na obra de "domador de cavalos" uma referencia ao povo de Ilion que eram hábeis em domar cavalos.
Como havia prometido Aquiles se mantivera longe da guerra e Patrocolo e os demais mirmidoes também. Porem a situação começou a ficar difícil para os gregos, Heitor comandando as hostes inimigas vencia facilmente a guerra. Aquiles se sentiu angustiado por ver seus amigos em combate tão duro e muitos de seus amigos, os grandes heróis gregos, haviam sido feridos em batalha.
Aquiles manda Patroclo para lutar no seu lugar, pois havia prometido não voltar ao combate sem que os troianos chegassem as naus aonde estava e seria desonroso e vergonhoso consigo mesmo quebrar essa promessa. Patroclo veste a armadura e o elmo de Aquiles e comanda os mirmmidoes em combate. O escudeiro luta com bravura, ate que encontra Heitor, os dois travam um feroz combate, e Patroclo é derrotado pois os deuses ajudam ao troiano. Heitor mata Patroclo e se apossa de sua armadura (que era originalmente de Aquiles) teria se apossado de seu cadáver também, mas os gregos conseguiram restitui-lo a salvo.
Patroclo morre, mas consegue para o avanço inimigo. Aquiles deseja ir ao combate vingar o amigo morto, mas Tethys o adverte e não ir pois estava sem sua armadura, aconselhando ao filho que aparecesse para seus inimigos pois só sua presença era majestosa era o suficiente para assustar os troianos que ainda lutavam e os fazerem recuar.

VIII -A BATALHA ENTRE HEITOR E AQUILES

Aquiles pede a mãe que proteja o cadáver de Patroclo para que este não apodrecesse, pois só iria fazer os ritos funerários depois de vingar o amigo. Tethys com seu poder faz com que nem os cães ou os vermes se alimentem de Patroclo, e então visita o deus Hefesto pedindo-o que forje novas armas ao seu filho. Após estar armado com uma armadura feita pelo proprio deus das forjas Aquiles parte para seu combate final. Aquiles vai ate os muros de troia e desafia Heitor. Uma grande batalha é travada e Aquiles obtém a vitória e após matar Heitor furta o cadáver atando-o a sua biga e com ele desfila ao redor dos muros de troia, um ato tão horrendo que ate os deuses sentem desprezo. Em seguida Aquiles leva o cadaver ate o acampamento dos gregos.

IX - RITOS FUNERARIOS E JOGOS EM HONRA DE PATROCLO

No acampamento grego Aquiles sacrifica doze troianos em honra a Patroclo e realza jogos entre seus companheiros. Patroclo é queimado e assim sua alma pode descer em paz ao Hades. Dentro das muralhas de Troia o rei Priamo chorava por não poder também fazer os ritos funerarios ao seu filho pois Aquiles havia roubado o cadaver de Heitor. A deusa Iris é enviada e guia o velho rei ate a tenda de Aquiles no acampamento dos gregos. O rei pede ao herói que lhe de o corpo do filho, e Aquiles aceita e assim se acaba a narrativa.

IX - CONCLUSÃO

A Illiada tem como tema principal o sofrimento do heroi Aquiles e sua luta para tentar atenuar sua culpa pela morte do companheiro amado Patroclo. O destino de Aquiles havia sido traçado desde cedo, sua mãe Tethys sabia que o filho ou morreria jovem, mas com a gloria e a honra ou morreria velho, tendo uma vida longa mas sem a gloria de um heroi. É claro que Aquiles optou pela primeira opção.
Tethys desde sempre tentou impedir a morte do filho, mesmo sabendo que era impossível se opor as vontade das Moiras (as deusas triplices do destino) a mãe de Aquiles banhou seu filho nas aguas do rio estige logo ao nascer, conferindo invulneabilidade ao seu corpo, porem o segurou pelo calcanhar ao fazer isso e por isso este não foi abençoado pelo poder do estige.
O romance acaba com a devolução do cadáver de Heitor, mas é citado que Aquiles ira encontrar a morte por uma flecha no calcanhar lançada por Paris e guiada pelo deus Apolo. O desfecho da guerra com a artimanha do cavalo de Troia é citado não na Illiada, mas sim na Odisseia, fato que ocorre após a morte de Aquiles.

terça-feira, 18 de junho de 2013

As brumas de Avalon - A senhora da magia



Um clássico da ficção. Um livro voltado a maravilhosa mitologia celta, as lendas do rei Arthur e de Merlim, o livro conta a historia de como Arhur tenta unificar a Bretanha e protege-la contra a invasão dos Saxões, mostrado por uma perspectiva feminina, na visão das grandes mulheres por trás do trono.
.Link(Livraria cultura): Clique aqui

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Penelope

Esposa do heroi Odisseu e uma das personagens principais de Odisseia. Penelope é a rainha de Itaca. Apos o termino da guerra de Troia, todos os comandantes e guerreiros gregos voltam a seus lares, seu marido porem não o faz o que acarreta na erronea dedução por parte de todos de que Odisseu perecera na viagem de volta.

Penelope é então cercada de pretendentes que a pressionam em se casar para adquirirem suas riquesas e o trono de Odisseu (na Odisseia são citados 52 pretendentes sendo Antínoo e Eurímaco os principais). Para fugir da obrigação imposta de se casar Penelope arquiteta um plano, promete se casar apos termina de tecer uma peça de pano, e assim passa os dias a fiar, mas a noite as escondidas desfaz todo o trabalho. O plano funcionou durante trés anos, mas uma serva contou da artimanha aos pretendentes que a obrigaram a terminar o trabalho.

A rainha de Itaca é a imagem de uma personagem pura que ama incodicionalmente seu marido, um simbolo de fidelidade e devoção com Odisseu. Apos vinte anos de espera seu marido volta a patria matando a todos os pretendentes e os dois voltam finalmente a ficarem juntos.

terça-feira, 23 de abril de 2013

Telemaco

Telemaco, heroi grego do romance Odisseia, de Homero. Filho de Odisseu e de Penelope. Telemaco é um classico esterotipo de filho que vive as sombras do pai, sem jamais alcançar seu brilho. Apos seu pai ter ido a guerra de Troia (que o fez quando Telemaco ainda era um bebe) e jamais ter retornado sendo considerando como morto. Varios pretendentes passaram a cercar sua mãe, Penelope, exigindo que ela arranja-se um novo marido.

Foi nesse ambiente que Telemaco cresceu, vendo os pretendentes a ursurbar e a consumir as riquesas de seu reino e a pressionarem sua mãe, mas sem jamais ter força para se impor e expulsar estes homens vis. Apesar de sua fraquesa em se impor Telemaco é nobre de coração e se destaca por seus celebres discursos, porem estes são todos inspirados pela deusa Atena, sua grande aliada e protetora.

Telemaco representa o jovem que vive as sombras do pai e que por falta de experiencia e ingenuidade comete varios erros, como no caso do assassinato aos pretendentes em que o jovem se descuida e deixa aberta a sala aonde se encontravam varias armas, e com elas os pretendentes se equipam para enfrentar a Telemaco e seu pai.

sábado, 6 de abril de 2013

Livro: As melhores historias da mitologia Celta



Um livro leve que conta os principais mitos Celtas dividindo-os em duas partes, a primeira se foca nas lendas irlandesas contando pricnpalmente os mitos dos deuses celtas. A segunda parte é centrada nos mitos gaulesas e narras as historias envolvendo o rei Arthur e seus fieis cavaleiros.
O livro apresenta os mitos como contos o que torna a leitura muito mais agradavel. Embora não seja um livro aconselhado para pesquisas aprofundadas sobre o assunto é bastante interessante para apresentar os mitos Celtas, podendo ser lido tanto para adultos quanto por crianças.
Link (Livraria cultura): Clique aqui

sexta-feira, 5 de abril de 2013

As seis invasões da Irlanda mistica

Conforme o Livro das invasões uma obra escrita por monges cristãos, houveram ao todo seis invasões na Irlanda ate que esta terra fosse enfim povoada. As invasões foram realizadas por varios povos e cada um trouxe a ilha novos conhecimentos como agricultura, metalurgica entre outros.
As seis invasões foram:

1º Invasão

A primeira invasão foi protagonizada por uma mulher Cessair, filha de Birth (um quarto filho de Nóe, não mencionado no genesis). Apos serem a eles negado o direito de subir na arca pai e filha decidiram escapar do diluvio do jeito deles.
Cessair, Birth e tantos outros viajaram em trés embarcações a procura de uma ilha segura da furia de Deus, como vemos o numero trés de grande importancia para os Celtas esta aqui presente. Das naus porem apenas uma chegou ao destino, a mesma que continha Birth e Cessair o marido desta Fintan, Ladra, o piloto, e mais cinquenta donzelas e mais muitos homens.
Com o passar dos dias porem a pequena população se reduziu a apenas Cessar ,seu marido e as cinquenta donzelas. Coube então a Fintain a incumbencia de despossar as cinquenta mulheres (algo semelhante ao Hercules grego que em cinquneta noites ou em outra versão em apenas uma noite despossou o mesmo numero de mulheres). Fintan porem estava longe de ser um Hercules-celta, com medo da incumbencia ele se metamorfoseou em salmão, animal que para os Celtas simboliza o conhecimento.
As cinquenta mulheres morreram, e Cessair continuou seu desejo de povoar a ilha, porem o destino mostrou que não eram os descendentes de Nóe que deveria reinar nessa terra. Cessair adormeceu, em uma caverna, simbolizando a terra adormecida. A neta do Nóe foi desde então considerada uma divinidade. Ela continuaria em seu sono ate que chegasse o dia em que a ilha por fim deveria ser habitada, dando assim a sua benção aos merecedores de reinar naquelas terras.

2º Invasão

A segunda invasão ocorreu por parte de Partholon. Oriundo da Grecia ele havia assassinado os pais em uma disputa sucessoria. É comum nos mitos gregos que ao cometer um crme a pessoa ficasse marcada, o crime deveria ser purificado para que sua culpa não atraisse severas punições dos deuses, não apenas para ele, mas para sua familia inteira. Partholon estaria então fugindo das temiveis Erinias (ou furias conforme a denominação romana) que tinham como dever punir os crimes entre familiares.
Da mesma forma que a Irlanda protegeu a Cessair e seu pai da ira do deus cristão salvando-os do diluvio, o mesmo ocorreu a Parthelon que conseguiu escapar das garras das erinias.
Como segundo colonizador da ilha, Parthelon que era agricultou trouxe a Irlanda o conhecimento da agricultura e a produção de cerveja alem do famoso caldeirão, muito comum nos mitos e historias de bruxas. O grego veio junto de uma grande comitiva que incluia ate mesmo druidas, homens versados nas artes magicas.
Partholon e seu povo perceberam porem que a linda terra da Irlanda não deveria ser conquistada tão facil. Da mesma forma que os deuses olimpicos tiveram que derrotar os titãs e os senhores nordicos de Asgard precisaram triunfar contra os gigantes, eles também teriam sua provação.
A Irlanda era atacada de tempos em tempos pelos Fumores gigantes marinhos ferozes e destruitivos que habitavam o fundo dos oceanos. A batalha entre o povo de partholon e os Fumores foi devastadora trazendo a vitoria aos gigantes marinhos. Os habitantes da ilha ainda conseguiram sobreviver por mais 120 anos ate serem banidos definitivamente por uma peste.

3º Invasão

A terceira invasão foi realizada por Nemed (que quer dizer sagrado) este veio com uma comitiva de 34 embarcações, mas tal o exemplo e Cessair apenas uma chegou em segurança a ilha. Foi graças a Nemed que o conhecimento da espiritualidade ficou conhecido nas terras irlandesas. Seu reinado na ilha durou pouco, pois tal como na ultima invasão os Fumores atacaram e destuiram boa parte do povo de Nemed, os nemedianos. houve um contra-ataque aonde os nemedianos atacaram os Fumores em seus palacios submarinos, mas eles foram novamente massacrados e a ilha da Irlanda voltou a ficar desabitada.

4º Invasão

Um sobrevivente dos nemedianos foi quem liderou a quarta invasão. Fir Bolg apos a derrota de seu povo viajou a Grecia aonde lá se exilou. Tempos depois voltou a Irlanda como lider da quarta expedição de conquista a ilha. O reinado de Fir foi prospero e ele quem induziu o ferro na ilha. Seu reinado chegou ao fim não com ataque dos Fumores, mas sim graças aos quintos e mais importantes invasores, os deuses Celtas.

5º Invasão

O quinta invasão foi feita pelos deuses Celtas que de tão convictoos estavam em viver na nova terra, que mal atracaram na ilha quemaram seus barcos para que o desejo de retornarem não os assola-se. Os deuses derrotaram os ocupantes da ilha e mais adiante travaram uma segunda guerra contra os temiveis Fumores. Neste ponto percebemos que a vitoria dos deuses sobre os gigantes do mar simboliza como eles submeteram a força das aguas, algo que apenas deuses poderiam fazer. Graças a isso eles estariam preparando a Irlanda para receber seus ultimos colonizadores, dos quais deles descende todo o povo Irlandes.

6º Invasão

A sexta e ultima invasão foi realizada pelos milesianos, eles receberam este nome por serem liderados pelo espanhol Mile Espaine. Mile porem teve um fim tragico e como Moises morreu antes de chegar a sua terra prometida.
Com a morte de seu antigo lider, foi Bregon o lider da invasão quando as naus dos milesianos chegaram as marges da ilha. Os milesianos porem não tinham a menor chance de derrotarem os deuses Celtas e tomar o controle da Irlanda, acontece que Cessar a protagonista da primeira invasão despertou de seu sono e se pos do lado dos mortais, pois sabia eram eles que deveriam colonizar aquela terra. Agora divinizada Cessair era uma deusa trplice que possuia trés formas. De dia era chamada Banba, a noite Fothla e enquanto adormecida Eriu.
Com a ajuda e benção da deusa os milesianos rivalizaram com os deuses na guerra que travavam pela terra prometida. Estes ao perceberem que a deusa uma força maior do que a deles havia escolhido os mortais para habitar a Irlanda se recolheram e assim os milesianos povoaram a Irlanda.
Os deuses Celtas porem não deixairam de conviver e a olhar os mortais. Eles se recolheram nos Slidhes que eram dominios divinos e particulares de cada deus. Os Slidhes ficavam debaixo da terra e os deuses muitas vezes saiam deles e se relacionavam com os mortais o que deu origem a grade parte dos mitos Celtas.

sábado, 9 de março de 2013

Mudanças e mais explicações

Ola a todos os leitores do Deuses antigos. Como ninguem mostrou algum interesse pela fic postado nesses dias (deixei como ultima postagem por todo esse tempo para que ficasse visivel) estarei encerrando ela finalmente.

Queria me desculpar pela ausencia de postagens aqui no blog e vim anunciar também mudanças. Depois de muito pensar estarei removendo todo o conteudo sobre ocultismo, magia, tarot e bruxaria do blog. O motivo é simples, apesar de eu adorar o assunto, ele foge dos conteudos que devem ser apresentados aqui. O mesmo se refere a fanfic ela também sera deletada.

Bem é isso, obrigado e aguardem que logo as postagens voltarão em seu ritmo normal.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

O mito das cinco raças

O mito das cinco raças esta presente na obra "Os trabalhos e os dias" do poeta Hesíodo, considerado o maior poeta grego, atrás apenas do grande Homero. Este mito fala da decadencia da humanidade, dividindo-a em cinco idades, cada qual sempre pior que sua antecessora.

Hesiodo denominou inicialmente apenas quatro raças que viveram em quatro periodos distintos. Cada raça representando um metal. Elas vão do metal mais nobre ate o menos valioso, sendo assim as quatro raças são:

Raça do ouro
I
Raça de prata
I
Raça de bronze
I
Raça de ferro

A primeira raça, a do ouro, viveu no tempo em que o titã Cronos reinava. Naquela epoca a humanidade não conhecia dor, sofrimento ou velhice, quando chegava a hora de um mortal morrer sua partida era serena e calma. Estes homens não precisavam trabalham pois a terra sozinha ja lhes dava tudo que precisavam para seu sustento. Os tempos de ouro porem chegaram ao fim, os homens desta raça se tornaram daemons (demonios) embora a palavra tivesse um sentido bem diferente da qual conhecemos atualmente. Eles eram seres benevolos, espiritos que intercediam pelo bem da humanidade.

Apos o desaparecimento da raça do ouro se deu inicio a raça de prata, estes viviam por cém anos ate alcançar a flor da idade, mas depois disso pouco viviam e logo desciam ao reino de Hades. Eram justos entre si mas não faziam sacrificios aos deuses, não os construiam templos, nem os honraram e por isso esta raça também chegou ao seu fim.

A terceira raça era composta pelos homens de bronze, fortes e musculosos, viviam para as guerras, eram violentos e incontrolaveis. No fim acabaram destruindo a si mesmos, matando-se uns aos outros em suas crueis guerras.

A quarta raça era a de ferro, a nossa raça. Nela tanto o bem quanto o mal se mesclam, não a respeito entre as pessoas e a corrrupção e maldade andam de mãos dados com a caridade e o amor. Nesta raça os deuses não mais andam entre os homens, e assim Hesíodo explica o porque dos deuses não mais estarem presentes entre os homens na grecia antiga.

Ao terminar de classificar a humanidade nestas quatro raças o poeta percebeu que os hérois não se encaixavam em nenhuma delas e por isso criou uma quanta, a raça dos hérois. Localizada entre a idade do bronze e a do ferro. Era nesta gloriosa epoca em que os deuses se relacionavam com mortais gerando os semi-deuses, foi nela em que Hercules, Perseu, Teseu e tantos outros viveram. A raça dos hérois teve seu fim na guerra de Troia, sendo Aquiles e Odysseu os ultimos hérois.

Sendo assim a nova divisão das raças ficou:

Raça do ouro
I
Raça de prata
I
Raça de bronze
I
Raça dos herois
I
Raça de ferro

O mito das cindo idades como ja dito mostra a decadencia da raça humana, esta que se iniciou a partir do momento em que Pandora abriu a caixa que prendia todos os espiritos maleficos que se espalharam pelo mundo e estão a atormentar a humanidade ate os dias atuais. Juntamente com estes espiritos a esperança também foi libertada, mas nem mesmo ela pode impedir nosso declinio ate a idade de ferro.

O mundo inferior e seus habitantes



O Hades, assim denominado o mundo dos mortos grego, é um territorio vasto e sombrio governado pelo deus Hades (o qual de seu nome se denomina também o nome de seus dominios). O conceito de mundo dos mortos para os gregos era diferente da visão crista, pois o Hades tem em si territorios correspondentes ao paraiso, inferno e purgatorio cristãos.

O Hades é divido em trés grandes areas. A primeira delas é o Erebo, uma região vasta aonde ficam as almas da maioria das pessoas que não foram nem "boas demais" nem "crueis demais" assim elas vagam eternamente como zumbis, sem personalidade e sem identidade, meras sombras do que um dia foram seres humanos. Esta região representa o purgatorio cristão. O local correspondente ao inferno é o Tartaro, um abismo profundo aonde os deuses olimpicos aprisionam seus piores inimigos.

O ultimo e mais invejado territorio do mundo dos mortos são os jardins Elisseos (correspondem ao paraiso) este é um local completamente diferente, lá a felicdade e paz, as almas que vivem ali são de pessoas muito estimadas pelos deuses, normalmente grandes herois e heroinas vão para os jardis Elisseos apos a morte.

É importante falar mais detalhadamente dos habitantes do mundo inferior, a grande maioria deles esta lá contra a vontade, centenas de milhares de almas que vivem em uma angustia eterna vagueando pelo Erebo ou sofrendo terrivelmente no tartaro, como dito alguns poucos chegam aos jardins Elisseos. Todos os dias o mundo inferior recebe mais e mais habitantes, nos tempos de guerras então, este numero é bem maior...

Os principais e mais importantes residentes do mundo inferior porem são, em primeiro lugar o rei do mundo inferior, senhor absoluto do mundo dos mortos, Hades. Caronte é outra figura importante e com um papel fundamental, é ele quem transporta os mortos pelas travessias dos rios infernais, uma figura sombria e esqueletica. Deuses menores como Hypnos e Tanatos também residem no mundo inferior juntamente com o cão Cerbero. um gigantesco cão de tres cabeças guardião do mundo inferior, um ser temido por todos, embora tenha sido abatido e capturado por Hercules. O heroi enfrentou o monstro de mãos vazias, e venceu.

No tartaro residem os hospedes de honra do Hades, estão entre eles os titãs derrotados na primeira guerra entre eles e os deuses olimpianos. Humanos que desagradaram os deuses também residem no Tartaro dentre eles esta Sisifo, um mortal que enganou a morte não apenas uma, mais duas vezes. O deus Hades o puniu com uma severa tarefa a qual ele deveria realizar por toda a eternidade: carregar uma pesada rocha ate o cume de uma montanha, ao fazer isso ela rolava montanha abaixo e ele deveria recomeçar a tarefa.

Por ultimo uma das mais importantes residentes do Hades é Persefone a rainha do mundo inferior. Persefone é um caso curioso por ser uma personalidade que tem sua passagem temporaria no mundo inferior, ela passa suas "ferias de inverno" todo ano lã. Foi decidido em um antigo trato que Persefone ficaria o inverno no mundo dos mortos junto ao seu marido e o restante do ano com sua mãe Deméter e os demais olimpianos.

Noticias

Quem acompanha o meu blog soube que recentemente comecei a fazer parte do blog "Os doze olimpianos" um blog de mitologia grega. Hoje soube infelizmente que o blog teve seu fim.

Quando me tornei autor de Os doze olimpianos havia prometido postar lá postagens unicas, tendo aqui em Deuses antigos e lá sempre postagens diferentes e originais. Com o termino de Os doze olimpianos, me sinto livre para poder passar agora as minhas postagens feitas lá para este blog.

Então estarei postando aqui os dois textos que fiz para o blog "Os doze Olimpianos" espero que gostem, boa leitura!

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Os deuses olimpicos e seus dominios

Em tempos imemoriais o mundo grego era governado pelos titãs. O conceito de "titã" é na verdade muito semelhante ao de "deus". Estudiosos aproximam a palavra titã de titaks (rei) e titene (rainha), pois era isso que eles eram, governavam o mundo representando as forças incontrolaveis e indomaveis da natureza. Tais forças só entraram em harmonia quando eles foram derrotados pelos deuses, estes firmaram sua sede de poder no topo do monte Olimpo e dividiram os territorios conquístados cabendo aos trés prinicpais deuses a posse dos ceus, das aguas e do mundo inferior (o mundo dos mortos), mas quanto a esta partilha falaremos detalhadamente mais adiante, nos atendo agora ao nascimento dos deuses e sua conquista pelo poder.
 
Os titãs como já dito eram reis e rainhas e por isso temiam perder seus tronos. Crhonos o rei dos titãs comia seus filhos assim que os gerava pois temia que eles ao crescerem tomassem seu lugar (ironicamente foi exatamente isto que aconteceu). Crhonos teve com sua irmã Reia um total de seis filhos, trés homens (Zeus, Poseidon e Hades) e trés mulheres (Hera, Deméter e Hestia) sendo estes os primeiros deuses olimpicos a qual futuramente destronariam e acabariam com o reinado dos titãs.

Ao vencerem a guerra os deuses olimpicos se firmaram no monte Olimpo como ja foi dito, eles então partilharam os territorios conquistados ficando Zeus o filho caçula com a maior parte, os dominios dos céus, se tornando assim deus dos deuses e dos homens e senhor do monte Olimpo a morada sagrada dos deuses. Poseidon regiu sua autoridade nos oceanos e nos mares, e quanto a Hades coube a menor parcela, ficando ele com o mundo inferior, a morada dos mortos.

É importante salientar que dentre as filhas de Crhonos nenhuma ganhou alguma parte nesta partilha. Hera se uniu a Zeus se tornando assim rainha dos deuses e também deusa dos casamentos, mas ela jamais teve um dominio apenas dela como seus irmãos. A deusa Hestia também nada recebeu, mas no seu caso foi por livre e expontanea vontade, Hestia é uma deusa recalusa e isolada, esta ligada a familía e a religião não se preocupando assim com dominios ou terras para governar. Deméter também não recebeu dominios, mas sim deveres, ela ficou responsavel pela agricultura, tendo que manter a terra sempre fertil, talvez a deusa se tornasse a regente da terra da memsa forma que Poseidon regia o mar e Zeus os céus, mas dado a personalidade de Deméter, que não possui ambição ou cobiça, isto jamais ocorreu. Seu interesse é apenas de agradar e proteger os demais, tendo assim por livre e espontanea vontade aceitado as responsabilidades pelos dominios da terra, mas jamais os proclamado para si.

Feita esta pequena explicação vamos agora falar detalhadamente então dos dominios dos trés grandes deuses: Zeus, Poseidon e Hades.


 


Poseidon governa o mar. É em seus dominios que vivem todas as criaturas marinhas, incluindo as sereias e as ninfas das aguas. É casado com a nereida Anfitrite e com ela gerou tritão. Poseidon governa seu territorio usando da froça extraordinaria de seu tridente capaz de tremer a terra e os mares, o deus assim tem o poder de criar terremtos e maremotos. Muitos outros seres poderosos já governaram os mares ou pelo menos parte deles, antes de Poseidon firmar seu poder, assim temos como exemplo a titanida Tethys, o poderoso Oceano e também o filho dos dois Nereu o velho do mar. Poseidon porem conquistou o direito de governar os mares apos derrotar os titãs e estes dominios são mantidos por ele ate os dias atuais.




Os dominios de Zeus são os ceus, por isso mesmo a ave é um dos animais que o representa. Em seus dominios estão os ventes, os pegasos as harpias e qualquer sorte de ser que caminhe pelo ar. Tem como centro de poder o gigantesco monte olimpo que se ergue nas alturas. Zeus como ja dito se casou com sua irmã Hera. Ele detem o raio a mais poderosa arma presente na mitologia grega, com ela o deus castiga seus inimgos e espalha sua ira rasgando os céus. Zeus ja usou sua arma muitas vezes para proteger seus dominios, algumas delas contra herois como o inconsequente Faetonte e ousado e Arrogante Belerofonte.





Hades governa o mundo inferior (mundo dos mortos, também denominado Hades), este é um local vasto, sombrio e sem esperança, nele os conceitos de céu, inferno e purgatorio cristãos se mesclam. A maioria das almas dos mortos se dirige ao Erebo aonde nele vagam eternamente sem rumo ou objetivo, com o passar dos anos eles acabam perdendo suas identidades ate não se tornarem meros zumbis, sombras do que um dia foram. O Erebo corresponde ao purgatorio cristão. Outra das regiões infernais é o Tartaro um abismo profundo aonde os deuses jogam seus inimigos e aqueles a quais desejam casrigar, é no Tartaro que estão os titãs e mortais como Sisifo. Corresponde ao inferno. A ultima das grandes areas do Hades são os jardins Elisseos, lá a esperança o amor e a felicidade reino, é um paraiso a qual poucos afortunados vão apos a morte. O mundo inferior é sem sombra de duvidas os dominios aonde temos mais informações detalhadas. É nele que residem deuses como Tanatos e Hypnos. O Hades é guardado pelo cão Cerbero e por Caronte, o barqueiro que transporta as almas dos mundos pela travessia do mundo infernal. Hades se casou com a deusa Persefone sua sobrinha, filha de Deméter e Zeus. O mundo inferior ainda possui varios rions como o rio Estige a qual nenhum deus pode jurar em falso e o rio Lete o rio do esquecimento ao qual as almas dos mortais se banham antes de irem reencarnar. Tal como Poseidon possui seu tridente e Zeus o raio, Hades também recebeu uma objeto de grande poder. O deus possui o elmo da invisibildade, algumas vezes ele emprestou este valioso tesouro para mortais, Perseu o recebeu de presente juntamente com o escudo de Atena uma espada dada por seu pai Zeus alem das sandalias aladas de Hermes.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

O conceito de "deus"

Ah muito tempo leio sobre mitologia e tenho um fascino especial pelas divinidades independente do panteão, embora claro que aprecie alguns deuses mais do que outros. Quando falo dessas divinidades me refiro aos deuses de religões politeistas e pagas excluindo o deus do cristianismo.

Quero adiantar que nada tenho contra ele, na verdade tenho uma grande admiração por ele tamém, a questão é que o deus cristão é um ser onipotente e onipresente,  sendo uma energia inifinita e incorporea, e este conceito divino se difere do conceito dos deuses das religiões pagas as quais quero falar nesta postagem.

O deus cristão é muito mais um espectador que age mais indiretamente atraves de pessoas e anjos, ou se diretamente sem assumir uma forma fisica. É essa a maior diferença dos deuses pagões eles possuem corpo, eles interagem entre si e entre os humanos, eles amam, erram, traem, em sintese são muito mais humanos e ao mesmo tempo continuam a ser tão divinos.

Eis então que surge uma questão que sempre me fascinou "O que faz dos deuses do paganismo de fato deuses?" a imortalidade é a primeira coisa que me vinha a cabeça, mas a muito percebi que não era apenas isso, pois se fosse esta caracteristica que os caracterizasse como divinidades outros seres também não deveriam se classificar como deuses? Não seriam Musas, gorgonas, vampiros ou ate bruxos que alcançaram esta façanha consderados deuses?

Não, com certeza não é a imortaliade que faz um deus embora esta seja uma caracterisita presente em todos eles. Em minha visão creio que o que faz os deuses é o fato dele sserem personificações de forças imensas e infinitas e ao mesmo tempo carregarem em si funções arquetipicas presentes em seus mitos.

Que arquetipicos são esses? A mãe protetora, a amante traida, o medo da rejeição... estas funções são muitas e estão presentes obviamente não apenas nos mitos dos deuses mas também no mito de varios mortais sejam eles ou não herois.Os deuses então possuem essas caracteristicas que os fazem tão humanos, pois eles foram criados por humanos e estes só poderiam criar deuses a qual podiam entender e compreender, por isso os deuses são tão humanos apesar da natureza divina.

Concluindo então o que faz um deus é estas caracteristicas arquetipicas, a imortalidade e por fim o fato de serem personificações de forças (muitas vezes da natureza ou de sentimentos, como deuses do amor, do medo, dos trovões das aguas, entre outros). Estes deuses se perpetuaram na memoria e no imaginario popular atraves de seus mitos fascinantes e envolventes.

sábado, 26 de janeiro de 2013

Momo

É a deusa do sarcasmo. Momo é uma deusa menor e pouquissimo conhecida tendo aparições curtas e de pouca importancia. Filha da deusa da noite Nyx, Momo teve sua maior aparição nos acontecimentos que levaram a guerra de Troia.

Quando a quantidade de homens sobre a terra estava crescendo em um ritmo muito grande, Zeus pretendia aumentar o numero de mortes para assim resolver o grade problema do aumento gigantesco da população. O pai dos deuses e dos homens desencadeou a guerra de Tebas, mas esta não foi o suficiente.

Momo então se apresentou, aconselhando a Zeus que oferecesse a nereida Tethys a um mortal. Havia sido profetizado que se um esta se casa-se com Poseidon ou Zeus teria um filho mais forte que o pai. Não poderia haver maior sarcasmo no conselho da deusa, enviando a ninfa a um simples mortal quando ela poderia ter um filho que superaria o proprio Zeus.

Deste casamento nasceu Aquiles. Com a ajuda da deusa Eris que lançou o pomo da discordia que culminou na guerra de Troia, a população foi reduzida drasticamente com uma decada de guerra e o problema assim resolvido.

Tanatos



Tanatos é o deus da morte, filho da deusa Nyx e irmão gemeo de Hypnos o senhor do sono.Habita o mundo inferior juntamente com seu irmão. Como um deus menor a poucos mitos em que ele aparece. Suas principais aparições foram, uma em um conbate contra Hercules na qual o flho de Zeus saiu vitorioso e outra quando este foi enganado e preso por Sisifo. Depois do feito ninguem mais morria então Zeus interviu libertando o deus da morte. 

Ao se ver livre a primeira vitima de Tanatos foi o mortai Sisifo.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Participação em um novo blog

 A alguns dias eu estava em um "Processo de seleção" para ser um dos autores de outro blog relacionado a mitologia. Hoje o resultado saiu e estou dentro do time. Como lá cada autor é filho de um dos doze olimpianos eu sou o filho de Deméter a minha deusa favoritoa.



No momento o blog Os doze olimpianos já possui trés autores, e com o tempo as demais vagas serão ocupadas. Quem quiser dar uma olhadinha no blog eu fico agradecido. As postagens feitas aqui no Deuses antigos serão diferentes das feitas no Os doze olimpianos por isso quem gosta do meu trabalho podera acompanha-lo pelos dois locais : )

Aqui eu posto não apenas sobre mitologia grega, mas qualquer tipo de mitologia, incluindo postagens sobre magia e bruxaria. Já no outro blog irei fazer postagens exclusivas sobre mitologia grega dando uma enfase maior a Percy Jackson.

Cenas epicas de filmes

Algumas cenas epicas de varios filmes famosos relacionados a mitologia:

Aquiles luta inicial (Troia)

Aquiles vs Heitor (Troia)

Thor vs Loki (Thor)

Perseu vs Medusa (furia de titãs)

Percy vs Hidra (Percy jackson)

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Nereu o velhor do mar

 Nereu "o velho do mar" é uma divinidade aquatica mais antiga que Poseidon.Tem a habilidade de se metamorfosear em seres marinhos e é retratado montado em um tritão.

Ao contrario de Poseidon, Nereu tem um genio mais facil e é menos agressivo. Uniu-se a oceanida Dóris e com ela teve as cinquenta nereidas das quais as mais importantes são: Tethys (mãe de Aquiles), Anfitrite (esposa de Poseidon) e Psâmate.

Moiras



As moiras são as deusas do destino, antes existia a ideia de apenas uma moira, senhora detentora dos destinos. Porem o conceiro sobre estas evoluiu e foram denominadas trés. São elas Cloto, Laquesis e Atropos. As moiras são representadas ora como senhoras idosas ora como lindas donzelas. Vivem isoladas dos outros olimpianos, compenetradas em seu eterno trabalho de tecer a linha do destino de todos os mortais.

Como ja dito existem trés moiras e cada uma possui uma função especifica. Cloto é a fiandeira que tece a linha do destino, sua irmã Laquesis é a sorteadora, pois enrola o fio e decide quem ira morrer. Por ultimo cabe a Atropos o papel final, é ela quem corta o fio encerrando com a vida.

As moiras tem um poder gigantesco que não pode se transgredido nem mesmo pelos deuses. Neste ponto elas se assemelham ao rio estige ao qual os imortais também não podem jurar em falso. Elas se assemelham as Nornes, entidades da mitologia nordica. As moiras aparecem de forma secundaria na maioria dos mitos, embora seu poder esteja sempre presente, foram elas quem decidiram que Aquiloes deveria matar Heitor, e foram as mesamas quem decretaram a queda de Troia, elas porem são neutras em suas decisões e jamais mudam o destino indepedente dos suplicos ou ameaças que qualquer deus faça.

Hypnos



Hypnos é o deus do sono, tem como irmão gemeo Tanatos (morte), nascido de Nyx que os gerou sozinha, sem auxilio de parceiros. Representa a inercia e por isso habita o sombrio reino de Hades de acordo com Vergilio e Hesiodo, aonde as almas vagam sem sonhos ou objetivos. Tomando como base o grande Homero a morada do deus não se encontra no mundo inferior, mas sim na ilha de Lemnos.

As aparições deste deus menor são poucas nos mitos. De acordo com um deles, o deus se apaixonou pelo mortal Endímion e por isso lhe concedeu o dormir de olhos abertos, para que pudesse olhar nos olhos do amante mesmo enquanto este estava adormecido. Conforme outras fontes fora a deusa da lua Selene que se apaixonou pelo mortal e pediu aos outros deuses que o tornassem imortal, Zeus concordou, mas em compensação o fez dormir eternamente.

Hypnos descente da geração da noite pois foi um dos muitos filhos da poderosa deusa Nys. Irmão da Tanatos, pois sono e morte estão intimamente ligados.

As categorias de ninfas



As ninfas são entidades femininas ligadas a natureza. Elas estão divididas em varias categorias dependendo de sua relação com a antureza, estas categorias são:

Oceânidas: Ninfas do alto-mar.
Nereidas: Ninfas dos mares internos.
Patâmidas: Ninfas dos rios.
Náiades: Ninfas dos ribeiros e riachos.
Creneias: Ninfas das fontes.
Pegeias: Ninfas das nascentes.
Limneidas: Ninfas dos lagos e lagoas.
Napeias: Ninfas dos vales e selvas.
Oréadas: Ninfas das montanhas e colinas.
Driadas: Ninfas das arvores.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

O arquetipo do héroi grego



O termo héroi na Grecia antiga tinha um sentido bem diferente ao que nós temos atualmente. Para nós o héroi é uma pessoa com poderes sobre-humanos que age em bem do povo. Qualidades como honestidade, justiça, lealdade e coragem são comuns a todos eles que não agem procurando a gloria e a fama, mas essas são consequencias de seus atos benevolos a sociedade e ao mundo.

Nos mitos gregos os hérois são bastante presentes, mas seu conceito é diferente. Primeiramente o héroi tem sim habilidades sobre-humanas, Hercules tinha uma força tremenda, mesmo bebe estrangulou duas serpentes venenosas enviadas por Hera para mata-lo. Teseu moveu uma rocha para conseguir adquirir a espada e as sandalias de seu pai de criação, rei de Atenas. Para os gregos, os hérois usavam destas habilidades extraordinarias para livrar a grecia de monstros e bandidos, pois eles eram os unicos capazes disso. Agora chegamos a pergunta crucial, porque apenas eles poderiam realizar tais façanhas? O que os fazia tão especiais, tão unicos?

A respsota a essa pergunta esta em suas origens. Os hérois gregos tem em sua maioria origem divina. Eles nasceram de união entre deuses e mortais, são semi-deuses, e por isso podem realizar proezas que nenhum outro humano poderia, mas apesar dessas incriveis habilidades eles ainda são mortais, podem ser mortos, pois não são deuses.

Existem porem hérois que não tem origem divina, Odysseu é filho de pais mortais, mas mesmo assim realizou feitos incriveis. Este héroi é bastante interessante, se analisarmos os mitos de Odysseu percebemos que ele consegue realizar feitos heroicos não pela força e habilidades sobre-humanas, mas sim atraves da inteligencia. Ele é astuto e em toda sua jornada é guiado por Atena deusa da sabedoria. Alem do mais poucos sabem, mas o héroi de Itaca é descendente distante de Hermes, um deus que por sua astucia e esperteza também alcançou grandes feitos. Então tendo herdado de sua distante origem a astucia de Hermes, e sendo guiado por Athena o héroi consegue realizar seus feitos heroicos.

Como ja falamos das habilidades dos herois e suas origens vamos nos ater a outro ponto importante dos hérois gregos, as motivações que os levam a agir. Para os gregos a justiça não era sempre a força que movia o héroi ele não age o tempo todo pelo bem do povo, mas as vezes por motivos pessoais, muitas vezes de forma egoista e desonesta, ou então agem buscando a gloria e em consequencia disso acabam relizando feitos beneficos ao povo.

Hercules é um grande exemplo disso, realizou seus doze trabalhos para se purificar, o héroi é marcado pela culpa que sentia por ter matado sua familia e a realização dos trabalhos era uma forma de auto-punição. Odysseu mata os pretendentes de sua esposa por um motivo puramente pessoal, realizou uma chacina matando os cinquenta pretendentes (não que eles não merecessem esse destino...). Ainda analisando o héroi de Itaca, não foi sua esposa Penelope sempre fiel ao marido mesmo com tantos pretendentes a pressiona-la a se casar? Mesmo quando todos acreditavam que seu marido havia morrido em Troia? A princessa se manteve fiel ao marido, Odysseu por outro lado não manteve a fidelidade, tendo constantes casos extra-conjugais despossando, outras mulheres como a linda Calipso e a poderosa Circe.

Os herois gregos tem um aspecto de dualidade, hora são bondosos hora agem de forma extremamente anti-etica. Teseu abandonou Ariadne depois de tudo que ela fez para ajuda-lo, e o que não dizer de Jasão que descartou Medeia apos a feiticeira ter traido seu proprio pai e fugido com o heroi?

Os herois gregos matam monstros, lutam em guerras e despossam lindas princesas. Por outro lado traem, agem de forma egoista e em seu final morrem de forma banal e infantil, a algumas excessões que tem finais gloriosos como Hercules que se torna um deus ao desposar a linda deusa Hebe.

Estes herois, personagens fantasticos ainda nos fascinam em seus mitos e aventuras e continuarão a fascinar as pessoas das gerações futuras com suas qualidades e defeitos tão divinos e tão humanos. Pois são seus defeitos que os tornam ainda mais cativantes, todo personagem perfeitinho demais acaba se tornando superfciais e sem graça.

Os 12 trabalhos de Hercules

Para quem não sabe, irei aqui resumir sem maiores explicações os 12 trabalhos desse grandioso heroi:

1 - Matar o leão de Nemeia
2 - Matar a hidra de Lerna
3 - Capturar o javali de Erimanto
4 - Capturar a corça de Cerinia
5 - Matar as aves do lago de Estinfalo
6 - Limpar os estabulos de Augias
7 - Caoturar o touro de Creta
8 - Capturar as eguas de Diomedes
9 - Recuperar o cinturão da rainha Hipolita
10 - Capturar os bois de Gerião
11 - Capturar Cerberos o cão guardião do mundo inferior
12 - Roubar uma pomo de ouro do jardim das Hesperides

domingo, 20 de janeiro de 2013

Hidra de Lerna


Uma hidra que vivia no pantano de Lerna. possuia noves cabeças e halito venenoso, ao se cortar uma de suas cabeças duas cresciam no lugar. Para vence-la Hercules cautequisou (fechou) as feridas usando um archote, assim com as feridas fechadas novas cabeças não poderam mais surgir e assim o heroi a matou.

A hidra de Lerna representa os vicios humanos, estes são multiplos representados pelas multiplas cabeças, esses vicios internos que corrompem e levam as pessoas a ruina. Eles devem ser cortados pela raiz, destruidos completamente, caso contrario ao serem eliminados parcialmente ressurgiram amis fortes, como as cabeças da Hidra.

É por esse motivo que as hidra possui um halito venenoso, estes desejos (podem ser representados pela ganancia, inveja, vicios por jogos ou dorgas) são venenosas pois destroem as pessoas. O pantano aonde ela vive representa o solo inferil como a vida infertil das pessoas que so podera voltar a ser bela e abundante com a eliminação dos vicios.