Pesquisar este blog

domingo, 30 de dezembro de 2012

Analise: Teogonia

Teogonia a Origem dos deuses foi um livro escrito pelo poeta grego Hesíodo. O livro escrito em forma de verso como os antigos livros gregos, narra toda a linhagem divina e esta dividido em vários cantos. Como cântico inicial esta o hino as musas, aonde o poeta revela que iluminado por elas iria cantar as honras e glorias dos imortais.

Na sequencia do livro o poeta narra todas as gerações divinas, dividindo-a nas gerações do céu  da noite e do mar. Teogonia é então um rico e completo mapa genealógico dos deuses, especificando em detalhes o nascimento de todos os imortais.

Oceanidas


As oceanidas são filhas de Oceano e Tethys. São mulheres que representam os poderes das águas e dos mares. Se assemelham as nereidas e naiadas, ninfas das águas  porem as oceanidas tem um poder e uma majestosidade que supera em muito as ninfas.

Caos


Caos (vazio) é um deus primordial. Sua existência é muito primitiva, Caos provavelmente não tem um corpo físico sendo apenas uma energia, ou simplesmente o vácuo. Ele existia no inicio do cosmos, e dele que nasceram Tartaro, Eros e Geia.

Caos por representar o vazio se enfraquece e se reduz a cada momento que uma nova divindade nasce e que cada novo ser surge, pois essas novas vidas ocupam o vazio tornando-o não mais vazio, e sim matéria e vida.


Mnemosina


Mnemosina (memoria) é uma titã filha de Uranos e Geia. Sendo a personificação da memoria ela conhece tanto as memorias passadas quanto as futuras, guardiã do conhecimento e das historias que se perdem nas areias do tempo.

Mnemosina foi uma das esposas de Zeus, da união de ambos nasceram as nove musas no monte Helicon. Se a titã representa a memoria, suas filhas representam a perpetuidade desta. As musas inspiram e iluminam os artistas os fazendo cantar as façanhas dos deuses e dos heróis, ou seja as fixando na historia e na memoria humana.

sábado, 29 de dezembro de 2012

Persefone



Persefone é a deusa da primavera, filha de Deméter e Zeus. Quando ainda jovem, sua beleza aflorava atraindo a atenção de todos, foi por isso que o deus do mundo dos mortos, Hades, a raptou e a levou para o seus domínios  tornando-a sua esposa. Hades sabia que para ter por direito a deusa como companheira deveria fixa-la ao mundo dos mortos, por isso ele ofereceu a Persefone uma semente de roma e ela ingenuamente o comeu, se alimentando de algo que vinha do mundo dos mortos ela estava se fixando ao novo lar

A mãe de Persefone, Deméter, ao saber do desaparecimento da filha ficou deprimida e vagou pelo mundo a procura dela. Sendo deusa da vegetação Deméter tinha como dever cuidar das colheitas e fazer com que a terra descem bons frutos. Ela porem estava triste demais com a ausência da filha e deixou seus deveres de lado pois para ela as obrigações maternas veem antes de seus deveres e obrigações divinas.

Como consequência da falta de cuidado e de atenção que Deméter depositava a terra, os campos não mais davam boas colheitas, um longe e tenebroso inverno caiu sobre a terra, as arvores secaram, as flores murcharam e um veu branco de neve cobriu o mundo.

Vendo esta situação caótica Zeus resolveu intervir, ordenou que Hades devolvesse Persefone a mãe, este porem sabiamente retrucou dizendo que ela havia comido uma roma, uma comida de seus domínios e por isso ele tinha por direito ficar com a deusa. O pai dos deuses e dos homens sabia que se Persefone ficasse no mundo dos mortos, a terra enfrentaria um inverno eterno pois Deméter não mais cuidaria de suas obrigações, e por isso decidiu que a deusa ficaria trés messes do ano no mundo subterrâneo  o restante do tempo passaria no olimpo, com a mãe.

Este é o principal mito de Persefone, nele é contado o ciclo das estações, pois quando a deusa esta no mundo inferior Deméter triste não cuida da terra e veem o inverno. Ao fim dos trés messes a deusa volta e a mãe se alegra chega o verão e depois a primavera. Quando Deméter sabe que o tempo da filha com ela esta se acabando ela se entristece chega o outono e por fim ela retorna ao mundo dos mortos iniciando novamente o ciclo com o inverno.

Persefone tem um historia por demais interessante, e ambigua se por um lado esta ao lado da mãe ajudando na nutrição da terra por sendo uma deusa geradora da vida, por outro desce ao mundo dos mortos se tornando a rainha do mundo inferior. Filha de Deméter que representa a terra e a vida e de Zeus deus do céus e por fim se caso com Hades deus do mundo inferior. Persefone esta ligada então aos trés niveis ceu(divino), terra (mortal), e subterrâneo (morte), caminhando livremente entre o ciclo da vida e da morte.

Nos mitos Persefone aparece principalmente em sua face de rainha do mundo dos mortos. Psique ao cumprir os quatro trabalhos que foram impostos pela deusa Afrodite, teve como o trabalho final descer ao mundo dos mortos (que simboliza o inconsciente  e pedir a filha de Deméter uma caixinha com um pouco da beleza imortal, tendo que entrega-la a deusa do amor. Quando o mortal Sisifo que almejava enganar a morte tentou sair do mundo subterrâneo foi pedir permissão a Persefone e não a Hades, isso se da porque apesar de poderosa Persefone é bastante inocente e fácil de se manipular, Hades foi o primeiro a engana-la lhe fazendo comer a roma.

Persefone esta intimamente ligada a sua mãe, é impossível falar de uma deusa sem citar a outra, o amor mutuo entre ambas é forte sendo elas as nutridoras da terra, seu mito tem uma importância gigantesca, sendo nele apresentado a força feminino e maternal superando ao machismo dos deuses. Psique é outra grande heroína neste ponto sendo considerada uma "Hercules feminina" por travar com louvor e honra seus quatro trabalhos.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Livro: God of war



O livro que deu origem ao game. Um dos mais famosos jogos de mitologia grega, vale conferir.
Link (livraria cultura): Clique aqui

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Kvasir, o sábio



Kvasir é o deus da sabedora, seu nascimento ocorreu de uma forma estranha. No pacto que selou a paz entre os deuses Vanir e Aesir todos os deuses cuspiram em uma vasilha. Embora esta atitude nos pareca estranha era um rito pagão comum para os povos nórdicos (semelhante ao pacto de sangue).

De qualquer forma, foi da fermentação da saliva de todos os deuses que nasceu Kvasir. Neste ponto podemos perceber que ele recebeu um pouco da essência de cada divindade  a historia se assemelha ao nascimento de Pandora, que recebeu um dom de cada um dos deuses gregos.

Kvasir cresceu sendo um deus a quem todos se aconselhavam, dado a sua enorme sabedoria. Porem isso despertou a cobiça de dois anões Fjallar e Gallar, eles mataram o deus e de seu sangue misturando-o com mel e frutas fizeram Odhroerir o elixir da inspiração.

Quem bebesse do Odhroerir adquiria o dom da poesia e da arte, os anões porem foram capturados pelo gigante Suttung e entregaram o elixir como resgate. O gigante deu o valioso néctar a sua filha Gunnlug. Odin que possuía seus dois corvos que tudo viam o avisaram do valioso tesouro. O deus de Asgard visitou a caverna de Gunnlug e a seduziu, dormindo com ela por trés noites. Esta encantada e em  amor o permitiu tomar um gole de cada vasilha. O deus porem a enganou e sorveu todo o néctar  se metamorfoseou em águia e voou para Asgard.

Em Asgard o deus regurgitou o néctar em duas vasilhas son (expiação) e boden (oferenda), algumas gotas porem caíram fora das vasilhas, estes se espalharam pela terra. É sorvendo destas gotas que os escritores, poetas e todos os artistas adquirem a inspiração necessária para suas obras.

Os deuses são imortais portante eles não morrem, se transformam. Pacha mama deusa adorada pelos povos Incas foi transformada em um monte apos a sua "morte" podemos entender o elixir Odhroerir como o próprio deus Kvasir, em uma nova forma. Nesta sua nova condição ele se assemelha as musas gregas, inspiradoras da arte, que enviavam aos poetas a dadiva da palavra para que estes cantassem a gloria dos deuses e dos heróis.

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Polifemo



Polifemo é um ciclope filho de Poseidon. A sua participação se da na Odysseya, morando em uma caverna. Ele ataca Ulisses, matando inclusive alguns de seus companheiros. O herói de Itaca habilmente engana o ciclope, embriagando-o com vinho e em seguida cegando-o. Usando sua inteligencia ele consegue fugir do covil do monstro.

A luta entre Polifemo e Ulisses é o clássico mito aonde se confrontam força bruta contra inteligencia sendo esta ultima a que prevalece. A derrota de Polifemo foi mais um dos motivos para que o deus do mar perseguisse implacavelmente Ulisses, porem sua eterna rival Atena estava a proteger e a guiar o herói.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Pacha mama



Pacha mama é a deusa da terra, da agricultura e da natureza na cultura Inca. Ela representa o poder da natureza em sua totalidade, é a provedora da vida e protetora dos animais. Pacha mama era esposa de Pacha kamaq e com ele teve dois filhos gémeos chamados Uilca (tanto o menino quanto a menina) eles são sempre referidos como os Uilcas.

Pacha mama incorpora o arquétipo da mãe-terra. É uma deusa bondosa e acolhedora, embora se torne agressiva para proteger a terra e os animais. Apos morrer Pacha mama se transformou em um monte e por isso eles são considerados locais sagrados para o culto a deusa.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Mapa dos olimpianos

O antigo mundo grego era muito vasto e cheio de perigos e surpresas. Muitos locais eram considerados sagrados, outros evitados por servirem de covil para criaturas monstruosas. Reuni aqui muitos destes locais para titulo de informação e conhecimento geral.

Montes
Monte Olimpo: Local da morada dos deuses olimpianos, estes apos vencerem os titãs se fixaram neste monte e o tornaram o simbolo de seu poder e sua morada.
Monte Hélicon: Local de nascimento das musas, filhas de Zeus e Mnemosina.
Monte Pélion:  Aonde o centauro Quirion vivia.
Monte Ida: Localizado na ilha de Creta, foi aonde Zeus nasceu.
Monte Fiquion: Próximo a Tebas, foi aonde Edipo matou a esfinge.
Monte Cilene: Nele existia uma uma gruta que era uma das varias entradas para o mundo inferior.
Monte Eta: Local aonde o herói Hercules morreu. Apos sua morte ele subiu ao Olimpo como um novo imortal.


Ilhas
Ilha de Delos: foi aonde Leto deu a luz a Artemis e Apolo. Em agradecimento o deus do sol a colocou no centro do mundo grego, sendo este "centro" não se referindo a sua localização geografica, mas sim de sua importância comercial e politica.
Ilha de Creta: Abriga o minotauro que vivia em seu gigantesco labirinto.
Ilha Eeia: Morada da feiticeira Circe.
Ilha de Ogigia: Morada da ninfa Calipso
Ilha de Itaca: Lar do herói Odysseu (Ulisses)

Estações



Por nove luas fomos uma só, inseparáveis
e quando tu chorastes e abristes os olhos para o mundo
eu também abriste os meus, e ao teu lado jurei ficar

Te vi crescer, de pequena semente desabrochar em flor
com lindas pétalas a exalar um doce odor
fui teu sol, tua luz, teu reconfortante calor

Mas como pude tão ingenua ser?
em pensar que tu minha flor precisaria da minha luz para viver?
Como pude não notar?
Que quanto mais tuas raízes na terra estavam a se adentrar
tu encontraste teu conforto na fria escuridão
e minha luz para ti, se tornou vão

Pouco a pouco te vi descer

puxada pelo impeto da paixão
Mas como pude tão ingenua ser?
eu já devia saber
que cedo ou tarde o cordão que nós ligava iria se romper

No lugar da minha cálida luz
tu se entregasse ao fogo ardente da paixão
na volúpia dos desejos e da luxuria
e eu sozinha fiquei a chorar
abandonada ao frio, uma chama a se apagar

Mas um dia, tu ira lembrar do meu amor
um sentimento antigo, puro, divino
E a minha luz ira retornar

E não importa quantas vezes volte a cair
nas mais fortes e avassaladoras paixões
eu sei que para o meu seio iras voltar


A poesia acima é de minha autoria. A fiz me baseando em um dos meus mitos favoritos o de "Demeter e Persefone" por isso mesmo o titulo "estações" pois este mito conta a historia dos ciclos das estações baseado na descida da deusa Persefone ao mundo inferior para se tornar rainha do mundo dos mortos ao lado de seu marido Hades, e ao seu regresso da mesma, quando ela volta ao seio de sua mãe Demeter.

A poesia porem tem um significado muito mais profundo, ela trata da difícil separação entre mãe e filha, quando a ultima começa a entrar na vida adulta (ou se entrega a paixões) e assim pouco a pouco se afasta do seio e da proteção materna. Apesar de os nomes das deusas não estarem presentes existem vários simbolismos que nos ajudam a identificarmos o mito. A comparação da filha com uma flor se da pois Persefone é a deusa da primavera. O amor materno é comparado com uma chama sutil que protege e acolhe enqautnto a paixão que a faz descer ao mundo dos mortos (um simbolismo do inconsciente  é comparado com o fogo abrasador e intenso da paixão.

A dor e a tristeza de Demeter, deusa arquetípica da mãe-terra, ao perceber que a filha não depende mais dela e tem sua própria vida é o tema central tratado na poesia. Os "Por nove luas fomos uma só" (1º  verso da 1º estrofe) faz referencia aos nove meses em que Demeter estava gravida, ao qual elas eram duas pessoas dividindo o mesmo corpo.

domingo, 16 de dezembro de 2012

Sete vidas



Um livro nacional escrito pelas gemas Monica e Munique Sperandio. Ele conta a historia de Alprilynne Hills, uma adolescente rebelde que vive em um orfanato, que aos poucos começa a descobrir segredos sobre seu passado que esta de alguma forma ligado com os antigos deuses do Egito.

Link (Livraria cultura): Clique aqui

Yggdrasil a arvore dos mundos



Yggdrasil é a arvore que sustenta os nove mundos na mitologia nórdica. Em seu centro esta Midgard (a terra do meio) que é o mundo dos mortais e dele é possível se ir a qualquer um dos outros mundos. Yggdrasil e os nove mundos não devem ser vistos de forma linear, sua forma e composição vai alem de nossa compreensão do mundo sendo ela geometricamente incoerente de se entender. Os nove mundos que se sustentam em Yggdrasil são:

Midgard: localizado no centro da arvore, esta envolto pela serpente Middgardsomr que se enrosca em seu próprio corpo mordendo a própria cauda. É o mundo dos mortais.

Svartalfheim: É o mundo subterrâneo localizado um nível abaixo de Midgard, morada dos elfos negros e dos anões que trabalham em suas forjas subterrâneas com os metais e pedras preciosas.

Hel: Mundo do pó localizado mais profundamente abaixo de Svartalfheim, é o mundo dos mortos que morreram de velhice ou doenças (não morreram em combates) governado pela deusa Hel.

Jotunheim: Localizado no sul do oeste de Midgard. Jotunheim é um mundo gelado e estagnado morada dos Jotnar os gigantes do gelo.

Niflheim: Localizado a Sudeste de Midgard, é um mundo frio e cinzento, coberto de nevoa e desabitado. E em Niflheim junto com Muspelheim que se começou a origem da vida.

Ljossalfheim: Localizado acima de Midgard. É nele que habitam os elfos claros, regido pela deusa Sunna e pelo deus Frey.

Asgard: Localizado no topo da Yggdrasil, acima de Svartalfheim. É em Asgard que esta situada a morada dos deuses.

Muspelheim: Localizado a noroeste de Midgard. É o reino do fogo morada dos Muspilli os gigantes do fogo.

Vanaheim: Localizado a nordeste de Midgard. Morada dos deuses Vanir, seus regenstes são os irmãos Frey e Freyja.

Metron

Metron é algo muito presente na mitologia grega. Ele significa a linha invisível que separa o humano do divino. É muito comum nos mitos gregos os heróis tentarem se igualar ou ate ultrapassar os deuses, e é quando fazem isso que eles cruzam o metron, um erro fatal pois a punição para este ato é severa e inevitável.

Porem apesar das serias consequências os personagens dos mitos gregos teimam em sempre repetir este mesmo erro, tal fato se explica pelo desejo humano de alcançar o divino ao qual tragicamente nunca é alcançado.

Os exemplos de tentativas de humanos de ultrapassarem o metron são inúmeros e podemos encontra-los na grande maioria dos mitos gregos. Belerofonte filho de Poseidon, apos concluir vários feitos heroicos ficou cego de orgulho e se achou tão poderoso ao ponto de ousar desafiar os deuses. O herói foi em direção ao monte Olimpo montado em Pegaso, Zeus vendo tamanha afronta o fulminou com raios. Faetonte conheceu a desgraça por tentar ultrapassar essa linha quando pediu a seu pai Helio que o deixasse guiar a carruagem que transporta o sol por apenas um dia. Faetonte almejou realizar uma tarefa que apenas um deus poderia realizar e por isso governou descontroladamente a carruagem do sol, queimando assim a terra. Zeus vendo o tamanho daquela desgraça fulminou-o com raios. E que melhor exemplo de ultrapassagem de metron do que o jovem Icaro que voou perto demais do sol e por isso suas asas foram destruídas e ele caiu no vasto oceano morrendo afogado.

Talvez o exemplo mais forte disso seja a tentativa de escapar a morte. Este é o maior desejo humano, se tornar imortal, mas apenas os deuses são imortais, tentar alcançar a imortalidade é uma ultrapassagem grave do metron, e como sempre as consequências são igualmente graves. O mortal Sisifo tentando enganar a morte criou um ardil, pediu que sua esposa que apos sua morte ela não o enterrasse, a mulher assim fez e quando Sisifo chegou ao mundo inferior visitou Persefone falando que sua mulher havia lhe feito uma grande afronta não lhe prestado as honrarias depois de morto, ele solicitou que ela o deixasse voltar ao mundo dos vivos para se vingar. Persefone deu permissão a Sisifo de voltar ao mundo dos vivos, mas ao chegar la ele não se vingou da mulher, apenas aproveitou sua vida. Hades ao descobrir o que o humano fizera o arrastou para seus dominios e o prendeu no Tartaro a pior região do mundo inferior, lhe incumbindo a cruel tarefa de carregar uma pedra durante um dia inteiro ate o topo de uma montanha, chegando lá a pedra descia toda a montanha por causa do tereno em descida da mesma e ele deveria repetir a tarefa... eternamente. Orfeu também tentou enganar a morte pedindo a Hades que lhe devolvesse a sua amada que havia morrido Eurydice. O soberano aceitou contando que na travessia de volta Orfeu não olhasse para trás, o herói da Tracia infelizmente o fez e perdeu sua amada para sempre.

As exemplos de mulheres também que atravessaram o metron, Aracne por se julgar melhor fiandeira que Atena e ate mesmo derrota-la (ou ao menos se igualar a ela) foi transformada em aranha. Psique teve que realizar duras tarefas pois era considerada pelos mortais tão bela quanto Afrodite. A mortal teve um dos poucos finais felizes dentre os mitos gregos, mas isso graças porque ela fez as pazes com a deusa se casando com se filho Eros e sendo transformada em imortal para viver a seu lado para sempre.

Psique é assim um dos pouquíssimos exemplos de uma humana bem sucedida, ela porem não atravessou o metron e saiu ilesa. O que aconteceu foi que ela foi transformada em imortal pelos deuses, sendo assim, como imortal, ela ja poderia cruzar tranquilamente o metron sem consequências  se tivesse o feito como humana (como acontecera antes quando era considerada tão bela quanto Afrodite) haveria punição e sua historia teria certamente um final triste.

Hercules o maior dos heróis gregos apos sofrer duramente com os doze trabalhos também teve o direito de se tornar imortal, mas para isso ele precisou "morrer" ou melhor seu lado humano teve que morrer no monte Etra. Porem o semi-deus ascendeu ao Olimpo como imortal se unindo a deusa Hebe.

O metron é para os humanos o que o Estige é para os deuses. Nenhum imortal pode jurar em falso se o fizer em nome do rio infernal, da mesma forma nenhum humano pode ultrapassar o metron, se o fizer é morto ou amaldiçoado de forma severa. E todos tanto mortais quanto imortais estão subjugados ao poder absoluto das moiras, as fiandeiras que tecem o destino.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

As moedas de prata

(Conto de autoria do autor do blog)

Dois irmãos, jovens no inicio da adolescência cavalgavam lado a lado conversando distraídos pela estrada quando encontraram um velho sentado junto a uma pedra com uma cesta de palha aos seus pés. Os dois pararam em frente ao idoso, e o irmão mais velho falou.
- Não temos dinheiro senhor, somos apenas agricultores, pobres como o senhor.
O velho ergueu seus olhos cansados que fitaram os dois jovens belos acima dele, ele ergueu a mão com a cesta.
- Não quero dinheiro, passo fome, é comida do que preciso.
Os dois irmãos se entreolharam, tinham comida, mas também tinham fome, queriam ajudar o velho mas a situação dos dois era precaria.
- Aqui senhor - disse o mais novo penalizado, dando ao idoso um pão que trazia consigo
O irmão mais velho vendo o ato tomou ocragem para fazer o mesmo e entregou ao idoso uma maça que trazia consigo.
- Obrigado! Obrigado!! - disse feliz colocando a comida no cesto.
- Não precisa agradecer, você necessita disso mais do que nos - falou o mais velho dando um leve sorriso.
Os dois já se preparavam para voltar a cavalgada mas o velho os deteve.
- Esperem, tem uma coisa para vocês, como agradecimento.
Dito isso ele procurou em suas roupas imundas e deu a cada um uma maravilhosa moeda de prata. Não era uma moeda comum, ela brilhava com uma intensidade estranha, como se produzisse luz própria, ao tocarem as moedas os irmãos perceberam que elas eram frias, tão frias como um bloco de gelo.
- Que moedas lindas - exclamou o mais novo deslumbrado - são de prata, mas elas parecem tão especiais que devem valer uma fortuna!
O velho olhou-o com intensidade e assentiu.
- De certo valem, vendendo-as vocês poderiam ficar ricos.
- Se são tão valiosas assim porque você não as vendeu? - perguntou o mais velho confuso, fitava a moeda interruptamente  havia algo de poderoso nela, ele sentia.
- Porque são magicas - exclamou o velho com uma voz profunda e com seriedade - essas moedas tem um valor muito maior do que vocês podem imaginar, muito maior qualquer ouro ou prata possa lhes dar. Guardem-as com cuidado, elas são um talisma poderoso.
Os dois irmãos continuaram a ficar as moedas magicas. Curioso o mais novo perguntou.
- Se são tão valiosas assim porque você esta nos dando?
O velho sorriu um sorriso cheio de dentes amarelos.
- Porque já tenho uma, e isso é o bastante.

Os dois jovens voltaram a sua caminhada e se dirigiram para casa. O irmão mais novo seguiu a risca as instruções do velho, e por mais tentador que fosse vender a morda, a guardou consigo  mantendo-a sempre ao seu lado. O mais velho porem agiu diferente. fascinado com a riqueza que conseguir vendendo a moeda assim o fez. Ele então percebeu que as palavras do velho eram verdadeiras, ao vende-la ele ficou rico. Ele a vendeu para um rei que possuia grandes posses, este lhe deu metade de sua fortuna em troca da misteriosa moeda.

Anos se passaram, para o irmão mais velho estes anos foram fartos e cheios de prazeres, para o mais novo foram difíceis e penosos, ele possuía poucos bens e vivia de forma precária em um vilarejo pequeno. Passados sete anos o irmão mais velho visitou-o, veio em uma carroça dourada magnifica, puxada por dois majestosos e fortes cavalos bracos. Ele saiu da carroça, vestindo vestes finas e de boa qualidade, e com um sorriso superior de triunfo se dirigiu ao irmão.
- Então irmão, vejo que ainda continua a viver na casa minuscula que nossos pais nos deixaram. Pelo que vejo ainda deve carregar aquela moeda que o velho lhe deu.
- Ele disse que era magica -retrucou o mais novo - e eu sei que você sentiu que era - disse apertando entre os dedos um saquinho que levava preso a cintura, nele estava a moeda - ainda me impressiona a forma que ela brilha, e a sencação ao toque... é fria é sempre fria.
O mais velho riu em deboche.
- É magica irmão, me fez de um homem pobre e sem valor a uma pessoa rica e cheia de posses, a magia mais forte que essa?
O irmão mais novo não concordava com aquela opinião, mas sabia que continuar com aquela discussão era inútil já que nenhum dos dois cederia. O mais velho então, orgulhoso de suas novas posses convidou o mais novo para conhecer sua nova casa, este aceitou.

O mais novo subiu na majestosa carruagem do irmão e eles então deram inicio a viagem. A carruagem se locomovia rapidamente e a viagem parecia tranquila ate que um inesperado deslizamento de terra atingiu a ambos, e então os irmãos morreram.

Ao acordarem os dois se encontraram em um local frio e úmido  perceberam então estarem no Hades, o mundo dos mortos. Os dois irmãos se aproximaram do rio infernal e foram recebido por um sombrio barqueiro, seu nome era Caronte, e ele dissera aos irmãos que tinha como função levar as almas para a travessia da alem vida em seu barco, mas que para isso era preciso que eles pagassem a passagem.
- Sem problemas! - disse o mais velho confiante dando uma moeda ao barqueiro.
Caronte recusou com um gesto negativo com a cabeça. Ele então ofereceu mais ouro, seus braceletes de bronze, seu anel de rubi e ate mesmo uma magnifica espada forjada com pedras preciosas que carregava, mas a todos o barqueiro recusou.
O irmão mais novo então se lembrou de sua moeda que carregara a vida toda, ele se lembrou das palavras que o velho lhe dissera anos atras "já tenho uma, e isso é o bastante" sim, finalmente ele havia compreendido  era preciso apenas uma moeda para dar ao barqueiro, por isso o senhor não se preocupou com as demais e as deu.
O irmão mais novo deu a moeda de prata a Caronte, este fez um aceno positivo com a cabeça e o deixou entrar no barco. O outro irmão gritou e ameaçou o barqueiro de todas as formas, mas este o negou a passagem, e levou apenas seu irmão pela travessia da alem-vida.

Quanto ao irmão mais velho, este impedido de continuar sua passagem para a outra vida, voltou ao mundo dos vivos como um fantasma, e passou a vagar pela eternidade em sofrimento, preso ao passado e ao seu terrível erro de ter vendido a moeda.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Analise: Percy Jackson e a maldição do titã

Enfim começamos a falar o terceiro livro da serie, agora finalmente a tão falada Thalia entra em ação. A historia começa quando Percy, Annabeth, Groover e Thalia vão a um colégio militar investigar dois meio-sangue. Eles resgatam Nico e Bianca Di Angelo, filhos de um deus desconhecido. Na missão o grupo é atacado pelo Sr. Espinheiro, que se revela como um manticora. Apesar da vantagem numérica o grupo estava sendo derrotado, mas um grupo de caçadoras surge e abate o monstro. Senhor espinheiro foge, mas leva consigo Annabeth.

O grupo de caçadoras se revela como sendo a deusa Artemis e suas companheiras caçadoras, dentre estas estava a tenente das caçadoras Zoe Doce-amarga. Bianca Di Angelo resolve se unir as caçadoras. Artemis fala de um poderoso monstro que poderia destruir o olimpo e sai em sua caçada, ordenando que suas caçadoras voltassem com Percy, Thalia, os irmãos Di Angelo e Groover para o acampamento.

No acampamento todos descobrem que Artemis foi capturada e é organizada uma expedição para resgata-la. Thalia, Groover, Zoe, Bianca e uma outra caçadora são chamadas o que deixa Percy... excluído. Ocorre um incidente com a outra caçadora e ela não pode participar da caçada.

Bom, a historia não se chamaria Percy jackson e a maldição do titã se o heroi passasse o livro inteiro no acampamento brincando de capturar bandeira certo? Como no livro anterior em que ele foi a procura do velocino de ouro mesmo sem ser convidado, Percy foi atras do grupo, sozinho, acompanhado apenas por seu cavalo alado Blackjack.

Percy se une ao grupo (a contra-gosto de Zoe que nesse momento deveria se chamar Zoe Amarga-Amarga) Eles enfrentam o leão de Nemeia e conseguem se sair vitoriosos. Muitas outras batalhas se seguem, na jornada Bianca morre e Groover se separa do grupo Eles descobrem o local aonde Artemis e Annabeth estavam, o mesmo local aonde no passado o titã Atlas havia segurado os firmamentos da terra por seculos, mas dessa vez era a deusa Artemis que havia sido presa com essa tarefa.

Lá eles enfrentam novamente a Luke e também ao titã Atlas. Uma difícil batalha se segue porem Perxy e seus amigos vencem, Atlas é novamente preso em sua maldição, mas na luta Zoe sucumbi e morre. Quando Percy retorna ao acampamento ele tem que encarar Nico. O jovem não se conforma ao saber da morte da irmã e culpa o filho de Poseidon por isso É revelado então que Nico era na verdade um filho de Hades (assim como a falecida irmã). Ele foge jurando se vingar de Percy, e fara de tudo para que suas palavras se tornem verdade.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Filme: A múmia (1932)



Primeira versão do filme a múmia, lançado em 1932.

Download: Clique aqui

Yu-gi-oh - piramide de luz



Donwload: Clique aqui

Yu-gi-oh


Para quem gosta de animes, ai esta uma postagem sobre yu-gi-oh. O anime que ficou muitíssimo famoso com o jogo de cartas, e os inúmeros games e não vamos esquecer claro o longa metragem que foi exibido em todos os cinemas do brasil, e do mundo.

A historia é sobre um garoto chamado Yugi, que possui um antigo artefato o quebra-cabeça do milênio  uma das sete relíquias do milênio. As batalhas do anime são na verdade partidas do famoso jogo de cartas monstros de duelo. Yugi e seus amigos lutam em batalhas perigosas, pois muitas vezes suas vidas dependem disso.

O anime tem varias temporadas, na primeira o vilão é Maximilion pegasus, o criador do jogo de cartas e dono olho do milênio, uma das relíquias do milênio. Na segunda temporada um homem poderoso Marik ishtar portador do cetro do milênio outra das relíquias do milênio assume o papel de vião.

O anime tem uma variedade enorme de temporadas, e uma segunda serie que é sua continuação chamada Yu-gi-oh GX. Um fato engraçado é que apesar de eu ter assistido um grande numero de temporadas eu não aprendi exatamente NADA sobre mitologia egípcia, no anime ela estava sempre presente mas nada nos é dito sobre os deuses do Egito e seus mitos, existem as famosas cartas dos trés deuses egípcios  mas é curioso que existam tantos deuses e só aqueles trés sejam citados o que por sinal nem são os mais importantes, com exceção é claro de Ra.

Tuonetar


Tuonetar é a rainha do mundo dos mortos. A deusa não pertence ao panteão nórdico  porem era cultuada nas terras da Finlandia, pouco se sabe sobre esta deusa, seus mitos se perderam no tempo e assim Tuonetar esta igualmente perdida no meio a tantas mitologias e deuses.

Encaixei-a no panteão nórdico apenas porque tinha que dar uma "morada" a mesma, sendo este o grupo mais próximo possível dela. Associada a morte e ao mundo dos mortos Tuonetar é uma divindade antiga e poderosa, vamos a sua historia.

Rainha do mundo dos mortos conhecido como Tuonetala. Alem de reinar no mundo subterrâneo era também sua guardiã  Tuonetala era uma região sombria separada do mundo dos vivos por um denso rio de águas negras. Muitos guerreiros e heróis adentravam vivos nos domínios da deusa, poucos porem conseguiam sair.

Para os vivos que adentravam seu reino era preciso passar por uma árdua jornada. Primeiro vagavam por sete dias um emaranhado de arbustos espinhentos, caso conseguisse sobreviver a tão difícil prova, ele deveria atravessar um imenso pântano, pelo mesmo espaço de tempo. O próximo obstaculo era ainda mais difícil uma escura e densa floresta negra a qual eram precisos mais sete dias de viagem árdua.

Todos os trés territórios eram repletos de perigos, porem caso o humano conseguisse atravessa-los encontraria as filhas de Tuonetar que assumiam a forma de cismeis negros, ele deveria conseguir a permissão das mesmas para prosseguir e se conseguisse a proeza se encontraria enfim com a rainha de Tuonetala.

A deusa é retratada como uma mulher bela e sombria, conduzindo um barco negro com as almas dos mortos, levando-as a seu reino. Quando um vivo depois de passar por todos os desafios e obstáculos chegava ate ela Tuonetar oferecia a ele uma porção feita de sapos e vermes, se ele a bebesse ficaria preso para sempre em seu reino.

Como uma deusa dos mortos Tuonetar conduz um barco, simbolo de viagem e de passagens, se referindo a passagem para a outra vida. Quando um vivo entra em seus domínios e se encontra com ela, a deusa lhe oferece uma porção, ai esta presente uma simbologia muito forte, aceitar a comida é uma forma de fixação ao local, tal simbolismo esta presente em muitas culturas, no mundo das fadas se alguém comer algo de la ficara preso a ele, sendo impedido de voltar. Na mitologia grega Persefone é obrigada a passar trés messes do ano no Hades pois comeu trés sementes de uma roma. O herói Teseu ao visitar o mundo dos mortos se sentou em um luxuoso banquete oferecido pelo deus dos mortos, ao fazer isso, algemas saltaram de seu assento e o prenderam a ele. Ao se sentar para usufruir da comida do Hades o herói acabou preso nos domínios sombrios do mundo subterrâneo, sendo libertado apenas muito tempo depois por Hercules.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Uma coisa a falar sobre Percy Jackson

Ola a todos, mais uma vez venho fazer uma postagem sobre Percy. O motivo dela é abrir os olhos de muitas pessoas sobre um pensamento equivocado que muitos teimam em ter. O que venho dizer aos meus leitores é que:

Percy Jackson não é material de estudo sobre mitologia grega

Sim, navegando pela internet vi coisas que considero absurdas. Muitas pessoas citando fatos presentes na historia de Rick Riordan e os usando como fazendo parte dos mitos e acervo cultural da mitologia grega. Bom gente a serie de Percy Jackson e os olimpianos usa os mitos e as divindades gregas como pilares para sua construção, é apenas um livro de ficção e não pode, de maneira alguma, ser considerado como fonte de pesquisa sobre o assunto.

Se você gosta de Percy Jackson e quer fazer uma postagem sobre o assunto no seu site ou blog deixe bem claro que esta se baseando no livro para retirar estes dados, escreva algo do tipo "De acordo com a obra de Rick Riordan(...)" ou "No universo criado nos livros da saga de Percy(...)". 

Se você for falar dos trés grandes deuses pelo amor de Zeus não escreva algo do tipo "Depois de vencerem os titãs os trés decidiram se reunir dividir o mundo. Seculos depois eles se reuniram novamente mas desta vez para fazer um acordo de não terem mais filhos com mulheres mortais". Alem de você estar passando uma mensagem TOTALMENTE equivocada, seu site ou blog perde credito na visão dos leitores.

Não estou dizendo para se repudiar toda e qualquer informação trazida no livro, muitas coisas estão certas (afinal foram retiradas dos mitos gregos), mas por ser uma obra o escritor tem a liberdade poética  ou seja a "autorização" por assim dizer, de inventar termos, mudar ou adaptar historias e mitos e poder inclusive usar gírias em sua obra. Com a liberdade poética o autor pode ate cometer erros que não tem grandes problemas, afinal não é um livro acadêmico, ou de estudo, é apenas um livro dedicado a entretenimento e lazer.

Em Percy Jackon por sinal eu encontrei um destes erros. No terceiro livro da serie em uma conversa entre Apolo e Artemis o deus do sol a chama de "irmanzinha" a deusa argumenta que eles eram gémeos e essa distinção de irmão mais velho e mais novo não fazia o menor sentido. Apolo porem replica "Ei! eu nasci primeiro". Na verdade foi Artemis quem veio primeiro, este é um ponto crucial e de vital importância em toda sua historia. Logo ao nascer a deusa ajudou a sua mãe Leto no parto de seu irmão e foi por presenciar as terríveis dores do parto que Artemis prometeu a si mesma se manter sempre virgem. A deusa da lua se sentia aterrorizada pela possibilidade de engravidar e ter que sentir as mesmas dores da mãe.

Esta ai provado por A mais B que Rick Riordan cometeu um erro em sua obra, e eu digo: e dai? Todos cometemos erros, e não é por causa de um detalhe como este que as pessoas devem julgar seu trabalho. Se alguém pensar assim esta pessoa esta agindo de uma forma infantil.

A mitologia grega em si já é suficientemente confusa, com varias versões para vários fatos, Homero diz que Hercules se encontra no Hades, outras fontes dizem que ele esta no palácio dos imortais casado com a deusa Hebe. Uns dizem que Afrodite é mãe de Eros outros afirmam que o deus nasceu a partir do caos (o vazio) sendo um dos deuses primordiais. Uns dizem que as gorgonas são irmãs das Greias, outros afirmam que Medusa e suas irmãs eram simples mortais não tendo relação nenhuma com as Greias e que foram posteriormente transformadas nas gorgonas por uma maldição da deusa Atena. Os exemplos se multiplicam aos montes, e é desnecessário citarmos mais do que isso. Se for para não dar credito a algo por erros, é melhor nem estudar mitologia grega.

Atualização

Olhando algumas postagens antigas aqui do blog resolvi alterar e acrescentar novas informações a elas. Acontece que estas postagens eram muito antigas e na época eu não tinha um conhecimento tão vasto sobre mitologia grega consequentemente elas se tornaram rasas e superficiais. Alem delas a postagem recentemente publicada aqui no blog "Tabela dos heróis" também recebeu um upgrade sendo acrescentados mais dois grandes heróis gregos Odysseu e Orfeu.

Veja as postagens atualizadas:
Tabela dos heróis
Hermes
Poseidon
Hera

Vlog mitologia grega


Olhando pela net encontrei esse vlog de Marcos Castro. O vlog não é sobre mitologia grega especificamente, mas este vídeo é. Espero que gostem.

Video: Bewoulf

Parte 1
Parte 2
Parte 3
Parte 4
Parte 5

sábado, 8 de dezembro de 2012

A simbologia do remorso no mito de Héracles



A matéria original foi publicada no jornal Diário do nordeste, no dia 8 de dezembro de 2012. Você pode encontrar esta matéria no site do jornal para isso - Clique aqui


Encontrei hoje uma matéria muito interessante sobre o mito de Héracles escrita por Antonio Luciano Bonfim Neto. Nela é apresentada uma visão muito completa e esclarecedora sobre os mitos deste herói que é com toda certeza o maior dentre os semi-deuses.

Filho de Zeus e da mortal Alcmena, Hércales era um garoto prodigioso desde pequeno, tal fato atraiu a ira e a cólera da rainha dos deuses Hera. A deusa esposa de Zeus, lança sobre o herói uma fúria e insanidade que o fazem agir de forma descontrolada, matando sem ser a sua intenção sua família.

E é exatamente isso afirma Bonfim que trilha todas as suas ações futuras. Atormentado pelo arrependimento e sem conseguir perdoa-se Héracles puni a si mesmo das piores formas possíveis. O herói se submete as ordens do covarde rei de Micenas, Euristeu. É nesta submissão que o herói cumpre os famosos 12 trabalhos, arriscando sua própria vida enfrentando monstros poderosos, e ate se humilhando com trabalhos que tinham como intento ridiculariza-lo como foi o caso do sexto trabalho aonde Hércules teve que limpar os estábulos de Augias rei de Élis.

Hercules é então segundo Bonfim, um anti-herói, agindo não por gloria ou fama, mas apenas para tentar culpar a si mesmo, mostrando assim todo seu egoismo. O filho de Alcmena faz atos heroicos e bravos salvando cidades de monstros e bandidos, mas não o faz com a intenção de ajudar o próximo.

Para tentar se redimir Hércules se humilha mais e mais, se tornando servo da Onfale, aonde ela o ordena vestir roupas femininas e ela mesmo se cobre com o manto de leão do herói. A culpa porem persegue Hércules durante toda a vida encontrando a paz apenas depois da morte quando em gloria e louvor ele sobe ao olimpo como um imortal, despossando a Hebe a deusa da juventude filha de Hera.


Tyr



Tyr é um deus lugado ao céu, a justiça e a guerra. Apesar de ser uma divindade guerreira o deus não é violento nem sangrento, pelo contrario era um deus justo e invocado em duelos individuais, sendo ele um deus das guerras justas. O deus era alto e forte, cabelos loiros ou grisalhos e olhos azuis acinzentados. Vestia-se com um manto vermelho, uma malha metálica, botas de pele de lobo e um elmo com chifres, portando uma espada inscrita com a runa Tiwaz.

O deus era por então guerreiro e justo, era em seu nome que os guerreiros faziam juramentos sobre suas espadas. Os símbolos de Tyr são a mão ou a luva (simbolo de justiça), a estrela, o pilar e a runa Tiwaz. Tyr pode ser equiparado a deusa grega Atena, esta como ele também em uma deusa da guerra, por isso muitas vezes retratada com elmo, lança e escudo, mas a guerra a qual Atena consagrava não era as sangrentas e violentas, e sim as guerras feitas para se atingir a paz, Atena era também a deusa da sabedoria e por isso uma deusa justa que presidia sobre os julgamentos e as leis, mais uma forte ligação com o deus Tyr.

O deus nórdico era filho da deusa Nerthus e marido de Ziza uma deusa pouquíssimo conhecida, sabe-se apenas que era uma deusa dos grãos. Tyr foi pai de Ingvio, Istvio e Irmio os fundadores das trés tribos germânicas primordiais a qual deu origem a todas as outras. Como deus celeste era associado a algumas estrelas como era o caso da estrela polar e a Sirius.

Tyr era um deus corajoso e justo. Seu ato mais heroico foi na captura e aprisionamento de temível lobo Fenrir. O monstro era filho do deus Loki, sendo irmão de outras duas entidades extremamente poderosas a deusa do mundo dos mortos Hel e a serpente do mundo Jormundgand. Fenrir fora trazido para Asgard por Odin que tinha esperanças de doma-lo. O lobo porem era muito feroz e nenhum deus ousava alimenta-lo cabendo essa tarefa ao honroso Tyr. Com o passar dos anos porem a fera foi crescendo de tamanho, se tornando cada vez mais perigosa. Os deuses temendo-o tentaram amarra-lo, para isso encomendaram aos anões uma amarra aparentemente simples mas extremamente poderosa, estes deram aos deuses um fio fino e delicado constituído de coisas impalpáveis e por isso extremamente poderoso.

Ao tentarem amarrar o Fenrir com algo tão simples o lobo desconfiou de uma armadilha, ele concordou em ser amado contanto que um deus colocasse a mão entre suas presas como sinal de confiança. Todos os deuses recuaram, mas Tyr aceitou a perigosa proposta. Feito isso os deuses amarraram Fenrir, o monstro tentou de todas as formas se libertar mas foi em vão, irritado e com odio ele mordeu e arrancou a mão direita do deus.

Como um deus justo e honrado Tyr se sacrificou pelo bem do grupo. O sacrifício porem seria apenas uma forma de ganhar tempo, no Ragknarok Fenrir ira se libertar e com suas poderosas presas matar o pai dos deuses Odin.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Nehalennia



Uma antiga deusa nórdica  Nahelennia é a protetora dos viajantes, sempre representada com uma cesta de maças ou de pães, um cachorro ao seu lado e as vezes um barco. A cesta com alimentos era seu simbolo pois alem de sua função de protetora dos viajantes a deusa também tinha em si o arquétipo da mãe-terra, tendo perto de si sempre alimentos para doar aos que a ela rezavam.

O cachorro simbolo da lealdade e também um poderoso guia, sendo assim mais do que obvio sua relação com uma deusa que protege os viajantes. Com seu faro aguçado e seus instintos o cão é um aliado poderoso para guiar a todos e ajuda-los a encontrar o caminho correto e livre de perigos. O barco é outro simbolo claro que representa os seus protegidos viajantes, sendo ele um meio de condução.

Pouco se sabe sobre esta antiga deusa, tudo que nos restou foram muitos altares com gravuras suas, sempre acompanhada por seus símbolos (cão, cesta com maças/pães e o barco). Um destes altares foi encontrado intacto na Holanda, datado do seculo I a.C.

Tabela dos heróis

Uma tabela sintetizando os principais heróis, suas linhagens, cidades de origens, armas e feitos heroicos. 
Por ultimo, no espaço "historia" um link para uma postagem sobre o herói aqui no blog, aonde você encontrara informações mais detalhadas sobre o mesmo.

-- Hercules -- 
Pai: Zeus
Mãe: Alcmena
Cidade de origem: Tebas
Armas/equipamentos: Pele do leão de Nemeia, flechas envenenadas com o sangue da Hidra de Lerna, clava.
Grandes feitos: Cumprimento dos doze trabalhos, participação na expedição dos Argonautas, matou o leão do monte citerão.
Esposas: Megara (filha do rei Creonte de Tebas), Dejanira, Iole (filha de Eurito rei da Ecalia), Onfale, deusa Hebe.
Historia: Indisponível


-- Perseu --
Pai: Zeus
Mãe: Danae
Cidade de origem: Argos
Armas/equipamentos: Espada (dada pelas ninfas, presente de seu pai), sandálias aladas de Hermes (emprestadas), escudo de Atena (emprestado), elmo de invisibilidade de Hades (emprestado), cabeça da medusa.
Grandes feitos: Matou a medusa e ao monstro marinho Kraken.
Esposas: Andromeda (princesa da Etiopia filha de Cassiopeia e Cefeu).
Historia: Clique aqui

--Faetonte--
Pai: Helio
Mãe: Climnestra (não confundir com Climnestra mãe de Elctra e Ifigênua)
Cidade de origem: Desconhecido
Armas/equipamentos: Nenhum
Grandes feitos: Nenhum
Esposas: Nenhuma
Historia: Clique aqui


--Teseu--
Pai: Poseidon
Mãe: Etra
Cidade de origem: Atenas
Armas/equipamentos: Espada
Grandes feitos: Matou o Minotauro, luta contra as amazonas.
Esposas: Antiope, Fedra 
Historia: Clique aqui

--Jasão--
Pai: Esão
Mãe: Alcimede
Cidade de origem: Iolco
Armas/equipamentos: Lança
Grandes feitos: Liderou com exito a expedição dos Argonautas.
Esposas: Medeia, Creusa
Historia: Indisponivel

--Belerofonte--
Pai: Poseidon
Mãe: Eurimede (em outras versões seu nome é Euriinome)
Cidade de origem: Corinto
Armas/equipamentos: Desconhecidas
Grandes feitos: Matou a quimera
Esposas: Filone
Historia: Clique aqui


--Orfeu--
Pai: Apolo
Mãe: Caliope (uma das nove musas)
Cidade de origem: Tracia
Armas/equipamentos: Lira
Grandes feitos: Descida ao Hades, participação na expedição dos Argonautas
Esposas: Eurydice
Historia: Clique aqui


-- Edipo -- 
Pai: Laio
Mãe: Jocasta
Cidade de origem: Tebas
Armas/equipamentos: Nenhum
Grandes feitos: Matou a esfinge
Esposas: Jocasta
Historia: Indisponível


--Odysseu (Ulisses)--
Pai: Laerte
Mãe: Anticleia
Cidade de origem: Itaca
Armas/equipamentos: Lança, arco.
Grandes feitos: Matou o ciclope Polifemo, participou da guerra de Troia.
Esposas: Penelope (princesa de Troia), Circe (amante), Calipso (amante)
Historia: Indisponivel

-- Aquiles -- 
Pai: Peleu
Mãe: Tethys (Nereida)
Cidade de origem: Desconhecido
Armas/equipamentos: Espada forjada por Hefesto.
Grandes feitos: Matou Heitor, príncipe de Troia.
Esposas: Nenhuma, mas tinha um caso com Briseida.
Historia: Clique aqui

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Nut


Nut é a deusa que representa o céu. Filha de Shu e Tefnut e tinha como irmão Geb a terra, que era também seu esposo. Era representada com o corpo negro salpicado de pontos brilhantes, como a representação do céu noturno. Conta-se que o casal foi separado a mando de seu pai, e que desta separação nasceram todas as coisas.

Os membros de Nut representam os pilares de sustentação do céu, ou seja os quatro pontos cardeais. Em sua longa descendência ela gerou Osíris, Isis, Seth, Neftis. A deusa também era conhecida como protetora dos mortos e os ajudava a regressar a outra vida

Analise: Percy Jackson e o mar de monstros

Atenção! Este post contem spoilers!!!

Segundo livro da serie Percy Jackson. Agora os dois lados estão mais definidos. Sabemos que o deus traidor era Ares e não Hades como pensavam Percy e seus amigos. Luke se revela como traidor e aliado do maior inimigo dos deuses o titã Cronos.

No inicio do livro vemos que Percy tenta (inutilmente) ter um ano tranquilo na escola o que é claro não daria certo. Durante uma aula de educação física o filho de Poseidon é atacado por uma horda de monstros. Na batalha descobre que um de seus amigos da escola Tyson era na verdade um ciclope(e também seu irmão) que o ajuda na luta. Ocorre uma difícil batalha, mas com a ajuda inesperada de Annabeth ela é vencida.

Os trés vão ao acampamento meio-sangue e descobrem uma desgraça. O local estava assolado por dois temíveis javalis de bronze que cuspiam fogo. Os heróis travam uma árdua batalha, Percy derrota um deles, o outro foi capturado por Clarisse e seus companheiros do chale de Ares. Depois de conversarem o senhor D e com Quirion Percy eles descobrem que o motivo de monstros estarem atacando o acampamento era porque o pinheiro de Thalia havia sido envenenado e seu poder de proteção enfraquecia, permitindo assim que monstros adentrassem no acampamento.

O único jeito de salvar a todos era encontrar o velocino de ouro, capaz de curar qualquer coisa (mesmo uma arvore como o pinheiro de Thalia).. E para esta difícil missão apenas um heroi poderoso seria capaz de cumpri-la, e esse herói NÃO era Percy. No lugar do filho de Poseidon Clarisse é enviada. Percy, Annabeth e Tyson acreditando que a filha de Ares jamais teria sucesso partem sozinhos em busca do velocino.

Na viagem o grupo se depara com um grande elenco de monstros, desta vez Hydra, Skylla e ate a feiticeira Circe aparecem. O trio também se depara com o navio Princesa Andromeda aonde Luke viaja recrutando heróis e monstros para as fileiras dos exércitos de Cronos.

No decorrer do livro descobrimos mais sobre o passado de Annabeth e Luke. Ao chegarem no final de seu destino eles se encontram com o ciclope Polifemo possuidor do velocino, uma batalha ardua é travada e no final o ciclope é derrotado.

O grupo retorna e é atacado pelo navio de Luke, felizmente Quirion aparece com seus amigos centauros e salva a todos.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Esfinge


Corpo de leão, dorso e seios de mulher, asas e em algumas versões uma cauda de escorpião, esta é a temível e misteriosa esfinge. Esta criatura ao contrario do que muitos pensam não é unica, existindo na verdade muitas esfinges. Na tragedia "Edipo rei" do poeta grego Sofocles porem aparece apenas uma esfinge, ficando subentendido que esta era a unica.

Sendo a esfinge de Sofocles a mais famosa vamos contar a sua historia. Na cidade de Tebas ela se postava, e a todos apresentava seu enigma, uma charada mortal que se a pessoa não o respondesse seria devorada pelo monstro. Por dizer a charada em forma de versos e com uma bela sonoridade a esfinge era conhecida também como a "Cruel cantora".

A cidade de Tebas ja estava assolada pelo monstro e a mão da rainha e consequentemente o trono haviam sidos oferecidos a qualquer pessoa independente das origens e de suas posses, que livrasse a cidade daquele mal. Um jovem chamado Edipo se apresentou a frente da esfinge e a desafiou. A cruel cantora então disse sua charada mortal:


"Que animal anda de dia com quatro patas,
 de tarde com duas
e a noite com trés?"


Edipo logo percebeu o enigma e respondeu "é o homem" e de fato a resposta estava certa, a manha se referia ao começo da vida quando o homem era uma criança e engatinhava assim andava com quatro patas, a tarde representava a fase adulta e o homem se locomovia com suas duas pernas, e a noite por fim era a velhice e a bengala que o idoso carregava representava a terceira pata, estava solucionado o enigma da esfinge!

Edipo se casou com a rainha e se tornou rei de Tebas, seu futuro porem era um caminho de escuridão e sofrimento, mas a trágica saga de Edipo não nos diz respeito agora, vamos voltar a cruel cantora. A esfinge esta presa a terra, tem asas, mas estas de nada lhe servem pois não pode voar. Ela representa os desejos terrenos, se assemelha as sereias, com seu corpo feminino e sua canção mortal seduz e leva os homens a ruina, para resistir a esta tentação é preciso descobrir a si mesmo, é preciso desvendar o enigma que a resposta é o homem, não como um gênero, mas abrangendo toda a especie humana. Enquanto os humanos não se descobrirem continuarão sendo arruinados pelos seus desejos terrenos, a esfinge triunfara.

Vampiros, a origem dos mitos...



Os vampiros, misteriosos e sedutores andarilhos da noite, eles são bastante conhecidos pela sua fama em livros e filmes, mas haveria uma explicação sobre sua origem? Muitos ocultistas já tentaram esclarecer o tema.

Existem trés teorias bastante convincentes sobre o surgimento destes seres, a primeira delas é que um espirito maligno se apossa do corpo recentemente morto e com sua mana sua energia controla o cadáver sem porem poder traze-lo de volta a vida. A segunda diz que ele era simplesmente um morto-vivo que repousava durante o dia e saia para caçar durante a noite. Porem é a terceira teoria que mais me parece convincente, esta diz que um vampiro é na verdade uma pessoa que morria, mas a alma do morto se prendia ao corpo com tanta força e desespero que conseguia se manter neste mundo. Este ser porem não estava vivo, e para se manter neste mundo precisava drenar a energia vital de outros seres por isso o sangue era necessário.

Quanto as fraquezas dos vampiros estas também tem origens facilmente explicáveis  A igreja católica condenava os vampiros como seres de demônio  tanto que acreditavam que um bruxo quando morto tinha grandes chances de se tornar um vampiro. Por isso então acreditavam que símbolos sagrados tal como a cruz e aguá benta eram armas poderosas contra eles. As estacas no coração também tem um sentido muito forte, é o coração um simbolo forte de poder vital, a estaca diz as lendas poderia ser de prata ou de madeira, ora a prata é por excelência um simbolo de pureza, e a madeira dependendo de que arvore venha também pode ser considerada como sagrada, os carvalhos e os freixos eram considerados por muitas culturas arvores sagradas, sendo assim uma estaca feita a partir da madeira de uma destas arvores teria esta característica.

Outro lenda muito conhecida sobre os vampiros é que eles não se refletem em espelhos. A imagem de que o espelho capta e aprisiona a alma (ou parte dela) é muito comum, sendo os vampiros seres mortos e diabolicos acreditavam que eles não tinham alma e por isso não podiam produzir reflexo, ou talvez por suas almas estarem presas de maneiras não naturais ao cadáver esta estivesse muito fixada a ele e não pudesse ser arrancada nem mesmo que parcialmente e retida em espelhos.

Reais ou não, por muito tempo no imaginário popular se acreditou que estas criaturas realmente existiam, a prova disso é que em 1853 foi feita uma lei proibindo que se cravassem estacas em cadáveres  um habito existente em algumas regiões do globo feito por pessoas que temiam o surgimento de vampiros.

Fontes
Enciclopédia da bruxaria - Doreen Valiente
Wicca crenças & praticas - Gary Cantrell

Éter



Éter do verbo aíthen que significa brilhar,iluminar. Éter é uma deusa que pode ser entediada como a luz, não confundir como outras divinidades como Apolo e Helio que representam o sol (um emissor de luz), mas esta deusa é a própria personificação da luminosidade.

Nascida de Nyx a misteriosa deusa da noite e Érebos, e irmã de Hemera(dia), vemos que tal como no cristianismo a luz nasce das trevas. Em Teogonia obra do poeta grego Hesiodo, se narra em poucas palavras o nascimentos desta antiga deusa, vamos citar os versos  124-125 de Teogonia.

"Da noite aliás Éter e Hemera nasceram,
gerou-os fecunda unida a Érebos em amor"

Selene



Selene é uma deusa lunar anterior a Artemis. Era filha dos titãs Hiperion e Teia. tinha como irmãos Helio(sol) e Eos(aurora). As aparições desta deusa são poucas, a mais conhecida foi na guerra contra os gigantes, a gigantomaquia, aonde Geia(mãe-terra, natureza) a mãe dos gigantes havia produzido uma erva capaz de curar seus filhos de ferimentos mortais. Zeus sabiamente proibiu Selene, Helio e Eos de brilharem e assim Geia não pode encontrar a erva medicinal.

Vídeo: Astecas


Historia da civilização Asteca, mais um video da serie "Construindo um império".

Vídeo: Grecia


Um vídeo da serie "Construindo um império  falando da grande civilização grega e suas principais conquistas e monumentos.

sábado, 1 de dezembro de 2012

Postagem 100



Tive um árduo trabalho ate aqui, quem diria que em menos de 1 ano eu já alcançaria a centésima postagem?
É com grande prazer que marco essa vitoria do blog "Deuses antigos". Então irei aproveitar esta oportunidade pra falar de todo o caminho e dos objetivos do blog, e também citar o rumo ao qual nos dirigimos, pois como os Argonautas que viajaram a duros custos para recuperar o velocino de ouro, eu e vocês leitores que acompanham o blog também viajamos pelas mares obscuras e misteriosas (e por isso mesmo fascinantes!) em busca dos conhecimentos antigos.

Quero falar primeiramente da origem do blog. Sempre gostei de mitologia, em especial a grega, embora isso se deva mais pelo fato dela ser mais acessível para mim e estar muito mais presente do que as demais mitologias ao meu redor. "Deuses antigos" foi criado com o intuito de trazer todo o meu conhecimento sobre os temas antigos, assim aos poucos eu estou formando esta "enciclopédia virtual" sobre deuses, seres fantásticos  heróis e valorosos mitos antigos! 

Mas as coisas não saem sempre como planejamos, e enquanto eu viajava através destes caminhos antigos, guiado pela grande guia Atena a quem tantos ajudou e aconselhou eu fui aos poucos descobrindo um imenso prazer em postar aqui. Como um exercício de motivação a sempre me fazer pesquisar mais e mais, e assim trazer a todos um material o mais rico possivel.

Uma coisa preciso falar sobre o blog, ele não é um blog de mitologia grega, embora 90% de seu conteúdo seja sobre o assunto. Como disse algumas linhas acima, o panteão e os mitos gregos foram sempre mais acessiveis para mim e por isso eu pude reunir um maior conhecimento sobre o assunto e é exatamente por esse motivo que o tema mitologia grega tem tanta enfase. Para quem veem acompanhando as ultimas postagens percebe que outros deuses começam a se manifestar, timidamente é verdade, mas aos poucos eles saem das sombras e estão se revelando em todo seu esplendor.

A mitologia nordica foi a primeira delas, embora não tenha tido nenhuma postagem rica sobre o t ema, ela ja apareceu em filmes, videos, livros e mangas aqui no blog. Mais recentemente (nos últimos dois das na verdade) Os deuses astecas e gipcios fizeram sua aparição. Um video do programa "Construindo um império" sobre o antigo Egito foi postado no blog, e outro video este da serie "Confronto dos deuses" apresentou o grande deus asteca Quetzalcoatl (alem de ter sido feita uma postagem inteiramente sobre ele). Vale da as honras e os meritos a estes dois programas exibidos pelo canal "History Channel" eu os acompanho a muito tempo e digo sem medo de errar que é um programa maravilhoso e bem completo.

Devido a essa nova e tão esperada incorporação de novas divindades e mitologias ao blog eu pretendo também fazer um espaço proprio para cada uma (como existe um dedicado a mitologia grega), e para facilitar, colocarei neste espaço de cada mitologia as fontes de onde retiro as informações para as postagens de todos os assuntos, assim não sera preciso repetir esse procedimento a cada postagem.

Obrigado a todos que acompanham o blog!